10 de nov de 2012

púchkin no brasil, II

prosseguindo com as traduções de púchkin publicadas no brasil (ver primeira parte aqui), seguem abaixo publicações a partir dos anos 1960. deve ter muita coisa esparsa, que ainda não localizei.

I.
em 1961, sai o primeiro volume da vasta antologia do conto russo em oito volumes, pela editora lux, trazendo os seguintes contos de púchkin: "a filha do capitão", "nevasca" e "moça camponesa". agradeço a quem souber me informar o tradutor:


gentilissimamente, o livreiro carlos baboni informa: "a filha do capitão", tradução de leontina vassilieva e renard perez; "nevasca", tradução de natália filipov e renard perez; "moça camponesa", tradução de natalia filipov e renard perez. e uma correção: informa baboni que a antologia é composta de nove volumes, publicados entre 1961 e 1962.


II.
em 1962, a difel publica o negro de pedro, o grande em tradução de boris schnaiderman (que será reeditada em 1999, pela 34):




III.
ainda em 1962, sai "o tiro" na antologia contos russos organizada por jacob penteado, na coleção "primores do conto universal", pela edigraf, sem créditos de tradução (não sei se é a de aurélio/rónai, de 1951): 



IV.
boris schnaiderman, em "caleidoscópio de tradutor", menciona uma antologia que teria montado e publicado em 1962, trazendo sua tradução d' "o empresário fúnebre", depois reeditado em 1981 como "o fabricante de ataúdes" e em 1999 como "o fazedor de caixões". não consegui localizar a antologia de 1962 com o referido conto.


V.
em 1963, a bup lança a filha do capitão em tradução de leontina vassilieva e renard perez:





VI.
em 1964, saem contos de belkin, pela brasiliense, em tradução de eduardo sucupira filho:





VII.
ainda em 1964, sai "o fabricante de ataúdes" na antologia obras-primas do conto russo, pela livraria martins, com introdução, seleção e notas de homero silveira. não consta o nome do tradutor, mas, pelo texto aqui disponível, parece de lavra lusitana.





VIII.
em 1968, "mozart e salieri" é publicado em tradução de tatiana belinky em teatro da juventude, vol. 4, n. 18, pela comissão estadual de teatro de são paulo. não localizei imagem de capa.


IX.
em 1972, sai a filha do capitão em adaptação de marques rebelo, pela abril cultural, na coleção "clássicos da literatura juvenil", e em 1979 na coleção "grandes aventuras". essa adaptação sai também pela "coleção elefante" da ediouro a partir de 1987.



X.
em 1980, a otto pierre lança contos breves, sem crédito de tradução. como a otto pierre publicava muitas coisas de portugal, não duvido que se trate de tradução lusitana. a coletânea traz: "a casinha solitária da ilha basílio", "a fidalga camponesa", "azar no jogo", "o desafio", "o bandido dubrovsky", "o czar saltan, o valoroso herói gvidon saltanovich e a formosa princesa cisne", "conto da czarevna morta e dos sete guerreiros" e "o prisioneiro do cáucaso".




XI.
ainda em 1980, sai pela perspectiva a tradução de helena s. nazário de a filha do capitão:





XII.
em 1981, sai a dama de espadas em tradução de boris schnaiderman, pela max limonad:





XIII.
em 1988, a paulinas publica o pope avarento em tradução de tatiana belinky:





XIV.
também em 1988, sai "nevasca" em salada russa, pela paulinas, em tradução de tatiana belinky:





XV.
ainda em 1988, a editora formar publica uma coleção de três volumes, chamada "mundo infantil". no vol. 3 está incluído o conto "o tzar saltão". ignoro o nome do tradutor/adaptador:




XVI.

em 1992, sai um volume de poesias escolhidas, com seleção e tradução de josé casado, pela nova fronteira:





XVII. 
em 1993, a scipione lança a história da ursa-parda em tradução e adaptação de tatiana belinky:





XVIII.
em 1999, pela 34, sai a coletânea a dama de espadas - prosa e poemas, em tradução de boris schnaiderman (prosa e poesia) e nelson ascher (poesia), com o título geral de a dama de espadas - prosa e poemas. traz: "o negro de pedro, o grande"; "dubróvski", "a dama de espadas"; "o chefe da estação"; "o tiro"; "o fazedor de caixões"; "kirdjali", na parte em prosa. os poemas são "o demônio"; "o semeador"; "a uva"; "o prosador e o poeta"; "para ***"; "alexandre I"; "nicolau I"; "para viázemski"; "o profeta"; "árion"; "mensagem à sibéria"; "'dom inútil...'"; "corvos"; "o antchar"; "o cavaleiro pobre", "'amei-te...'".





XIX. em 2003, sai uma nova tradução dos contos de belkin, agora de klara gouriánova, pela nova alexandria:





XX.
em 2004, sai uma antologia de contos russos eternos, pela bom texto, organizada por maria do carmo s. campos e com tradução de josé augusto carvalho. não sei qual é o conto de púchkin incluído na coletânea.





XXI.
ainda em 2004, sai o caderno de literatura e cultura russa dedicado a púchkin, pela ateliê/ usp, com um dossiê que inclui a tradução de excertos de evguiéni oniéguin; "romance em cartas"; "sobre poesia clássica e romântica"; e "esboços de um prefácio a boris godunov":





XXII.
em 2006, a globo lança pequenas tragédias em tradução de irineu franco perpétuo. são elas: "o cavaleiro avarento", "mozart e salieri", "o convidado de pedra" e "o festim nos tempos da peste"..





XXIII. ainda em 2006, a rideel lança uma adaptação d' a dama de espadas feita por rodrigo espinosa cabral, em sua sua coleção "aventuras grandiosas":





XXIV.
ainda em 2006, saem a filha do capitão / a dama de espadas pela martin claret. já comentei o caso da tradução de álvaro moreyra para a dama de espadas aqui. sobre a tradução portuguesa d'a filha do capitão nessa edição da claret, ver aqui.


XXV.
em 2007, sai boris godunov em tradução, notas e posfácio de irineu franco perpétuo, pela globo:





XXVI.
em 2010, pela hedra, temos noites egípcias e outros contos traduzidos por cecília rosas. além de três dos contos de belkin, "do editor", "a nevasca" e "a senhorita camponesa", a seleta traz também "a casinha solitária na ilha de vassili", "história do povoado de goriúkhino" e as "noites egípcias" do título:





XXVII.
em 2010, sai eugênio onêguin em tradução de dário moreira de castro alves, pela record. essa tradução foi inicialmente publicada em 2008 em moscou, pelo grupo editorial asbooka-atticus, em edição bilíngue:


Autor:Puchkin, Aleksandr Sergueievitch,clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes 1799-1837.
Título / Barra de autoria:Eugênio Oneguin : romance em versos / Alexandr Pushkin ; tradução do russo para o português, Dário Moreira de Castro Alves. -
Imprenta:Moscou [Rússia] : Grupo Editorial Azbooka-Atticus, 2008. 
Descrição física:493p. ; 23cm.
Notas:Título e texto em russo com tradução paralela em português.
Registro Patrimonial:1.293.837 D 31/05/2010 




XXVIII.
em 2011, sai "viagem a arzrum" na nova antologia do conto russo - 1792-1998, pela 34, organizada por bruno gomide, em tradução de cecília rosas:





XXIX.
em 2012, sai a coletânea de pequenas tragédias pela martin claret, em tradução de oleg almeida:


XXX.
em 2013, temos o conto maravilhoso do tsar saltan, em tradução de cecilia rosas, pela cosac naify:



23 comentários:

  1. Rafael11.11.12

    A editora Lux diz, na aba de seus livros, serem suas traduções (tenho Guerra e Paz) feitas diretamente do russo. Isso se confirma?

    ResponderExcluir
  2. olá, rafael - sim, sim; e talvez em alguns casos a quatro mãos (um russo c/ um brasileiro). era muito interessante a lux, com coordenação literária de vera newerowa e otto maria carpeaux. até encontrei aqui os tradutores de alguns outros volumes da antologia: http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/16069/16069_7.PDF

    ResponderExcluir
  3. olha, rafael, procurando especificamente essa tradução de guerra e paz pela lux (lucinda martins, é isso?), há um estudo aqui que afirma que a tradução é indireta, p. 17: http://www.maxwell.lambda.ele.puc-rio.br/16069/16069_2.PDF

    então, retiro minha afirmação anterior, que foi uma inferência precipitada a partir das informações - também meio gerais demais - sobre a antologia do conto russo, do outro link. resumindo: não sei. teria de ver melhor.

    ResponderExcluir
  4. conforme descrição dada aqui, a tradução de lucinda martins para a lux teria sido feita a partir do francês:
    http://www.traca.com.br/livro/428864/guerra-e-paz-volume1

    Guerra e Paz (volume1), Léon Tolstoi
    Coleção: Clássicos da Literatura Universal. Idioma: Português (Brasil). Título original: Guerre et Paix. Tradutor: Lucinda Martins. Editora: EDITORA LUX LTDA

    ResponderExcluir
  5. Cara Denise,já há um bom tempo venho me preparando para conhecer melhor Púchkin, ler com mais afinco sua obra, até para fugir da ficção brasileira atual (e das polêmicas), e esse seu levantamento foi mais precioso e oportuno que nunca. Agora tenho um roteiro seguro.
    Li a tradução de Lucinda Martins acreditando que era direto do russo. Pena. Mesmo assim, achei-a excelente, ainda mais que vinha fugido do horror que é a versão do Oscar Mendes (Itatiaia), quando me resolvi a ir até o fim no monumento tolstoiano. Só que a edição que eu tenho é de outra editora, Beta, você conhece?
    Obrigado, mais uma vez, e um forte abraço.

    ResponderExcluir
  6. bom, tudo o que leva o nome do oscar mendes me faz dar uns vinte passos para trás... não me admira que seja um horror sua versão pela itatiaia. da beta nunca ouvi falar, vou dar uma pesquisada, obrigada pelo toque (aliás, alguma hora vou fazer o levantamento de tolstói no brasil).

    ResponderExcluir
  7. ah, vi a carinha da edição da beta! (1974)

    ResponderExcluir
  8. Esse levantamento de Tolstói, eu vou aguardar ansioso, mas acho que vai lhe dar um trabalho tremendo.

    ResponderExcluir
  9. pfff, nem diga! nem consegui terminar ainda os de dickens e dostoiévski!

    ResponderExcluir
  10. Eu não sei se você gosta da obra dele, mas eu gostaria muito de ver também um levantamento sobre Sartre no Brasil.

    ResponderExcluir
  11. ah, interessante! e, por falar nisso, alguma hora vai sair o idiota da família, pela l&pm.

    ResponderExcluir
  12. Nossa, quem foi que se aventurou a traduzir o monstro? Que heroísmo!

    ResponderExcluir
  13. pois é! olha, até tinham me oferecido, declinei porque não conseguiria encaixar o prazo em minha agenda. sugeri que escolhessem alguém que tb conhecesse razoavelmente o flaubert, não só o sartre, e como prazo cerca de um ano - fiquei meio triste ao saber que parece que, no final das contas, repicaram a obra entre vários tradutores... pessoalmente acho uma pena.

    ResponderExcluir

    ResponderExcluir
  14. Denise,
    Cheguei ao seu blog depois de ler seu comentário sobre "catbirds" na página de tradutores no Facebook. Achei maravilhoso você compartilhar seu conhecimento assim, aprendi bastante com o que você ensinou ali e fiquei muito entusiasmada ao ver a profundidade com que você trata os temas neste espaço! Muito obrigada. Eu sou tradutora também, mas parece que estou a léguas de fazer algo realmente bom! Ali na página, você deu algumas dicas muito interessantes. Vou ficar de olho por aqui e aprender mais. Muito obrigada!!

    ResponderExcluir
  15. que amor, valéria, que gentil, muito obrigada! sim, há muito material interessante sobre tradução, e aqui no blog vc encontra bastante coisa útil, penso eu. espero que tenha bom proveito :-)

    ResponderExcluir
  16. Anônimo22.11.12

    Olá Denise Bottmann,
    a Antologia do conto russo, da editora Lux -editada entre 1961 e 62 - têm 9 volumes.
    O primeiro volume é dedicado à Pushkin e Gogol.
    Os tradutores dos 3 contos de Pushkin são:
    A filha do capitão, Leontina Vassilieva e Renard Perez;
    Nevasca, Natália Filipov e Renard Perez;
    Moça camponesa, Natalia Filipov e Renard Perez.
    Parabéns pelo sempre excelente trabalho.

    Carlos Baboni

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito legal, carlos, obrigadíssima!

      Excluir
  17. Anônimo28.12.12

    Oi Denise,aprecio muito o seu blog,vi que as traduçoes da Lux sao diretas do russo,voce recomenda adquirir essa coleçao?,ou melhor seria aguardar serem publicados novamente em novas traduçoes algum dia..Aguardo.Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. anônimo, a coleção da lux pode ser bem interessante. novas traduções também.

      Excluir
  18. Anônimo27.4.13

    Estou querendo ler algumas literaturas russas que só há em espanhol e inglês. Que idioma, dentre estes dois, costuma ter boas traduções da literatura russa? Alguém sabe?


    Thanks.

    ResponderExcluir
  19. Anônimo18.5.13

    Denise, gostaria de informações sobre o trabalho de Oleg Almeida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. anônimo, consulte seu site: http://www.olegalmeida.com/

      Excluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.