6 de out de 2012

como e quando madame bovary chega ao brasil? não sei

apenas para registrar.

outro dia encontrei um artigo sobre traduções de madame bovary no brasil, e o articulista comentava que a primeira tradução brasileira teria sido feita pelo literato mineiro renato travassos e publicada em 1931.

de fato, o volume saiu em 1931 pela waissman, em sua coleção "obras célebres", mas com "tradução revista por renato travassos". ver a catalogação na universidade de coimbra, aqui e aqui. não consta o nome do tradutor de origem.

o que andava muito em voga eram as sucessivas reedições da tradução lusitana de madame bovary pela livraria chardron, da lello & irmão, de portugal, importadas e vendidas aqui no brasil. o interessante é que essa tradução portuguesa, por sua vez, já era anônima e "revista" por joão barreira. ao longo das décadas, passou a ser publicada pura e simplesmente como tradução de joão barreira, em circulação até hoje, e assim constando em sua biografia e em vários estudos de sua obra.

de qualquer forma, os acervos portugueses trazem os exemplares mais antigos, desde a década de 1890, devidamente catalogados com a especificação de que se tratava apenas de uma revisão de tradução. por exemplo:

Autor: 
Título: 
Madame Bovary : scenas da província / Gustave Flaubert ; trad. revista por João Barreira
Publicação: 
Descrição física: 
2 vol. ; 16 cm
Descrição de 2º nível: 
vol. 1: 5.ª edição . - 265 p.
vol. 2: 4.ª edição . - 228 p.
CDU: 
Cota: 
L 7  BMC  68609
L 7  BMC  68610

a única notícia que tenho de uma tradução de madame bovary em português em data anterior à revisão de joão barreira é a de f. ferreira da silva vieira, publicada em 1881, da qual dispomos inclusive de um exemplar em nossos acervos na biblioteca nacional:

Autor:
Título / Barra de autoria:
Madame Bovary, costumes de provincia.
Imprenta:
Lisboa, Ty. Lisbonense, 1881. 
Descrição física:
2 v.
Notas:
Registro Pré-MARC
Classificação Dewey:
Edição:
843 
Indicação do Catálogo:
843/F587m7 

e na biblioteca nacional de portugal:

MADAME BOVARY : COSTUMES DE PROVINCIA. SEGUIDO DA REQUISITORIA DO ADVOGADO IMPERIAL DO PROCESSO INTENTADO CONTRO O AUCTOR NO TRIBUNAL CORRECIONAL DE PARIS / GUSTAVE FLAUBERT ; TRAD. DE F. F. DA SILVA VIEIRA
AUTOR(ES): 
Flaubert, Gustave, 1821-1881Vieira, F. F. da Silva, 1831-1888, trad.
PUBLICAÇÃO: 
Lisboa : Emp. Literária Fluminense, 1881
DESCR. FÍSICA: 
1 t. ; 18 cm

assim, minha tendência é crer que a tradução de origem foi feita por da silva vieira, foi revista por joão barreira (a quem, com o tempo, veio-se a atribuí-la) e, no brasil, foi provavelmente essa tradução já revista por barreira que foi trevista por renato travassos. talvez, como trabalho de conclusão de curso (tcc), valesse a pena algum estudante pesquisar a procedência dessa hipótese.*

* existe outra possibilidade. algumas vezes usava-se "tradução revista por" em casos de traduções encomendadas pela editora que ficavam com qualidade tão aquém do desejado que precisavam ser reelaboradas e praticamente refeitas antes de ser publicadas. é o que acontece, por exemplo, com as traduções revistas por godofredo rangel ou por monteiro lobato, pela nacional. ver "uma breve tipologia dos créditos de tradução", aqui. se tiver sido este o caso, não seria difícil comprovar: bastaria compulsar a tradução de da silva vieira e a revista por joão barreira.

quanto à primeira madame bovary brasileira, fica a questão: há uma edição publicada em c.1934 pela sociedade impressora paulista. a ficha catalográfica na biblioteca nacional não registra os créditos de tradução: não sei se é de fato anônima ou se o dado existe e não foi cadastrado. escrevi à dinf (divisão de informação), da fbn, e estou no aguardo de uma resposta. até lá, as únicas informações de que disponho são estas:

Autor:Flaubert, Gustave, 1821-1880.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:Madame Bovary.
Imprenta:S. Paulo, Impressora paulista, [1934?]. 
Descrição física:345 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Classificação Dewey:
Edição:
843
Indicação do Catálogo:843/F587m7/1934 

atualização: sobre a dificuldade em conseguir um atendimento minimamente satisfatório da dinf/fbn, ver a novela aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.