3 de ago de 2012

tietagem explícita - arte e letra: estórias



o jornal literário rascunho me perguntou que recomendação de leitura eu faria. dei a seguinte aqui, e reproduzo abaixo:
Tenho uma paixão toda especial por contos. São de leitura/releitura inesgotável. E que gosto dá pegar um número qualquer da revista Arte e letra: estórias. Começa que as capas são sempre lindas; o papel, uma delícia ao tato e à vista; as ilustrações internas, de um primor que a gente não se cansa de admirar. E aí, já tendo lido e relido algumas vezes os números que tenho em casa, pego-me numa tarde de chuva folheando mais uma vez algum deles. E fico: “Veja só” (por isso é bom também ser meio esquecida), “não me lembrava deste Bulgákov. E esse Vila-Matas aqui? Ora, ora, o Valêncio! Olha o Xerxenesky! E a Carola! Hmm, do D. F. Wallace não sou muito fã, mas esse é legalzinho. Opa, o Coetzee, adoro o Coetzee: como era mesmo a estória? Ah, esse Buzzati aqui é demais”. Afora aqueles de quem nunca tinha ouvido falar: “E. W. Hornung? Serge Pey? Interessante”. Isso sem falar dos tradutores: quanta gente ótima! Meu dia fica encantado, e juro a mim mesma que amanhã sem falta vou encomendar os outros números. 

2 comentários:

  1. Obrigada pela dica, Denise. Gosto muito de contos, e vou procurar a revista. Bom domingo, sem tantas querelas, de preferência :)

    ResponderExcluir
  2. olá, mariana, é muito legal sim.
    obrigada! nem diga, ninguém merece!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.