11 de ago de 2012

por que NÃO me ufano de meu país

que pouca vergonha!

a jornalista raquel cozer deu hoje em sua coluna painel das letras na folha de s.paulo:

SUSPEITA DE PLÁGIO É A 3a. EM VENDAS PARA BIBLIOTECAS PÚBLICAS

A Martin Claret, que inscreveu traduções suspeitas de plágio para compras por bibliotecas públicas, foi a terceira editora com mais títulos pedidos pelas instituições dentro do programa de aquisição acervos lançado neste ano pela Fundação Biblioteca Nacional. As primeiras, conforme balanço recente da FBN, são a Ciranda Cultural e a Todolivro. No começo do ano, a tradutora Denise Bottmann listou dezenas de casos suspeitos em denúncia ao Ministério Público Federal. Vários desses títulos estão na lista de encomendas feitas à Claret, que no total vendeu 93 mil cópias e teria faturado cerca de R$ 550 mil. Segundo Galeno Amorim, presidente da FBN, o caso está sendo investigado pelo MPF e a editora pode ser processada caso fraudes sejam comprovadas. Os livros já estão sendo distribuídos às bibliotecas.
*
Novas traduções A Martin Claret há meses refaz traduções --18 títulos saem agora na Bienal do Livro. Embora em janeiro tenha prometido descadastrar obras com traduções em andamento, isso não ocorreu. Elisângela Alves, ex-Cátedra Unesco de Leitura da PUC-Rio, acaba de assumir a edição da casa e coordena o novo trabalho.
Novas aquisições O balanço da FBN sobre o programa de aquisição de livros a até R$ 10 foi feito por ocasião do anúncio da segunda fase. Aprimorado, o novo edital corrige falhas. Entre as mudanças, agora as bibliotecas listam títulos e só depois a FBN aciona as editoras. Antes, as editoras cadastravam obras e então as bibliotecas escolhiam.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/raquelcozer/1135261-suspeita-de-plagio-e-3-em-vendas-para-bibliotecas-publicas.shtml

ver também a postagem de raquel cozer em seu blog a biblioteca de raquel, em 10/08/12, aqui.

acompanhe aqui este caso terrível, com as dezenas de livros espúrios cadastrados no programa do livro de baixo preço e as providências solicitadas à fundação biblioteca nacional e ao ministério público federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.