5 de ago de 2012

a difusão da alienação

como comentei aqui, um dos grandes problemas em obras espúrias, sobretudo quando são livros de estudo, de pesquisa, debate e reflexão, dentro e fora do ambiente universitário, é que acabam adquirindo uma difusão, uma propagação quase exponencial. consultadas e citadas em artigos, ensaios, dissertações, teses; indicadas em bibliografias e programas de cursos; presentes em bibliotecas de instituições de ensino públicas e privadas; muitas vezes oferecidas ou adquiridas em licitações e pregões públicos para escolas e bibliotecas, tais obras ganham uma credibilidade que não lhes cabe e uma permanência ao longo das décadas que dificilmente se extirpa com a mera retirada dos exemplares disponíveis no circuito de distribuição. já comentei inúmeras vezes este problema, e na tag nas escolas vê-se claramente a dimensão que ele adquire.

apontei recentemente o caso de a teoria da alienação em marx, pela boitempo editorial em que isa tavares aparece como suposta tradutora dessa obra de mészáros. veja aqui.


em vista da boa vontade da editora em apurar o que pode ter acontecido (veja aqui), reforço minha solicitação para que se dedique o máximo empenho ao problema. uma pequeníssima amostra extraída de uma rápida consulta à internet ilustra o que quero dizer:


todos os docentes e discentes, todos os autores, estudiosos e pesquisadores devem poder confiar em suas fontes. do contrário, é a própria integridade intelectual que se vê atingida, como bem disse alfredo bosi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.