16 de jul de 2012

holanda traduzida no brasil

contribuição fantástica de daniel dago: um levantamento da bibliografia holandesa traduzida no brasil.

Traduções brasileiras de ficção, não ficção, infantojuvenil de língua holandesa, publicadas e em andamento

Por Daniel Dago 

Referente à “língua holandesa”, incluem-se todos os países onde se fala o idioma: Holanda, Bélgica, Antilhas Holandesas, Suriname. Qualquer erro ou omissão, por favor, avise que corrijo.

 
BECKMAN, Thea. Cruzada em jeans. Trad. Mustafa Yazbek (idioma de partida não informado). São Paulo: Nova Alexandria, 1997.

 
BERNLEF, J.. No limite da razão. Trad. do inglês Adalgisa Campos da Silva. Rio de Janeiro: Casa-Maria, 1990.

BIJLSMA, Aliefka. Também em nome de minha mulher. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. São Paulo: Livros de Safra, tradução em andamento.

 
BRUIJN, Cor. Lasse Länta, o menino lapão. Trad. do alemão Lavínia Viotti. São Paulo: Brasiliense, 1960.

Os 100 Melhores Contos de Crime e Mistério da Literatura Universal
COUPERUS, Louis. "A filha do barba-azul". Trad. do inglês Fani Baratz. In: Os 100 melhores contos de crime e mistério da literatura ocidental (org. Flávio Moreira da Costa). Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

___. "O binóculo". Trad. do alemão de Aurélio Buarque de Hollanda e Paulo Rónai. In: Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial X: Após-Guerra. 2. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

___. "O binóculo". Trad. do holandês de Daniel Dago. In: Curitiba: Arte e Letra Estórias Q, 2012.

___. Sobre pessoas velhas e coisas que passam… Trad. do holandês Daniel Dago. Tradução concluída.

 
COSTER, Theo. Os colegas de Anne Frank. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012.

DAVID, Vinco. Por trás do canavial. Trad. do holandês João Carlos Pijnappel. São Paulo: Escrituras editora, tradução em andamento.

 
DROS, Imme. Os sapatinhos vermelhos. Trad. do holandês Ruth Salles. São Paulo: Ática, 1995.

 
EGGELS, Elle. A casa das sete irmãs. Trad. do holandês Walter Carlos Costa. Rio de Janeiro: Rocco, 2002.

 
ELSSCHOT, Willem. Queijo. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. Rio de Janeiro: José Olympio, 2006.

EMANTS, Marcellus. Uma confissão póstuma. Trad. do holandês Daniel Dago. Tradução em andamento.

 
FOSSEY, Koen. A festa de Fred. Trad. do holandês Diana Beatriz Nogueira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

 
FRANK, Anne. O diário de Anne Frank. Trad. do inglês Ivanir Calado. Rio de Janeiro: Record, 2007.

 
GENECHTEN, Guido van. É um gato? Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: editora Global, 2009.

___. É uma rã? Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: editora Global, 2009.

___. É um caracol? Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: Global, 2009.

___. É um gato? Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: Global, 2009.

___. É um ratinho? Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: Global, 2009.

___. O que tem dentro da sua fralda?. Trad. do holandês Vânia Maria Lange. São Paulo: Brinque Book, 2010.

___. O que é, o que é?. Trad. do holandês Vânia Maria Lange. São Paulo: Brinque Book, 2010.

 
GLASTRA VAN LOON, Karel. Amor de pai. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. Rio de Janeiro: Record, 2004.

 
GOGH, Vincent Van. Cartas a Théo. Trad. Pierre André Ruprecht (idioma de partida não informado). Porto Alegre: L&PM, 2002.

 
GRUNBERG, Arnon. Amsterdã blues. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. Rio de Janeiro: Globo, 2003.

___. Dor fantasma. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. Rio de Janeiro: Globo, 2005.

 
HARTOG, Jan de. O capitão: romance. Trad  do inglês Otávio Mendes Cajado. São Paulo: Melhoramentos, 1968.

___. O leito nupcial. Trad. Miriam Mehler e Emílio di Biasi (idioma de partida não informado). Biblioteca Célia Helena.

Livro: Minha Irmã E Eu - Dirk Van Der Heide -  
HEIDE, Dirk van der. Minha irmã e eu. Trad. do inglês Leonel Vallandro. Rio de Janeiro: Livraria do Globo, 1941.

 
HILLESUM, Etty. Uma vida interrompida. Trad. do inglês Antonio C. G. Penna. Rio de Janeiro: Record, 1986.

 
HOF, Marjolijn. Um fio de esperança. Trad. Andrea Stahel Monteiro da Silva (idioma de partida não informado). São Paulo: Martins Fontes, 2010.

 
HOLLANDER, Xaviera. A madame embaixatriz. Trad. do francês Reinaldo Guarany. Rio de Janeiro: Record, 1983.

HEUT, Conrad Busken. Gitje. Trad. do francês de Aurélio Buarque de Hollanda e Paulo Rónai. In: Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial. Vol. 4. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

 
HUIZINGA, Johan. Homo Ludens: O jogo como elemento da cultura. Trad. do alemão João Paulo Monteiro. São Paulo: Perspectiva, 2005.

 
___. O outono da Idade Média. Trad. do holandês Francis Petra Janssen. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

 
JAPIN, Arthur. Os olhos de Lucia. Trad. do holandês Dina Maria De Oliveira Titan. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

 
KAYSER, Wim. Maravilhosa obra do acaso. Trad. do holandês Marta de Senna. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998.

 
KLUUN, Ray. Um tipo de amor. Trad. do holandês Patrícia Bröers-Lehmann. Rio de Janeiro: Record, 2008.

KOCKERE, Geert de. A mulher gigante da casa 88. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. São Paulo: Pulo do Gato, 2012.

___. Se é assim que você pensa!. Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: Brinque Book, 2009.

___. Trocando uma ideia. Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: Brinque Book, 2007.

___. Azul. Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: Brinque Book, 2011.

 
KRABBÉ, Tim. O ovo de ouro. Trad. do holandês Angela Lobo de Andrade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995.

 
KROMHOUT, Rindert. Um burrinho grande. Trad. do francês Monica Stahel. São Páulo: Martins Fontes, 2003.

 
LAMPO, Hubert. A vinda de Joachim Stiller. Trad. do holandês Rubens Rusche. São Paulo: Cultrix/Pensamento, 1990.

LAUERYSSES, Stan. Dalí e eu.  Tradutor e idioma de partida não informado. Rio de Janeiro: Ediouro, tradução em andamento.

 
LOEFF, A. Rutgers van der. Avalanche!. Trad. do inglês Carlos Eduardo Esteves.. São Paulo: Brasiliense, 1960.

MERTENS, Bart. Ninguém e eu. Trad. Jorge Sallum (idioma de partida não informado). São Paulo: Hedra, 2012.

 
MINNE, Brigitte. A fada feiticeira. Trad. do holandês Ana van Lieshout Titan. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

 
MOEYAERT, Bart. Me dá um beijo. Trad. do inglês Leo Cunha. Rio de Janeiro: Ediouro, 1996.

 
___A criação. Trad. do alemão Samuel Titan Jr. São Paulo: Cosac Naify, 2006.

Cosac Naify 
MONDRIAN, Piet. Neoplasticismo na pintura e na arquitetura. Trad. do holandês João Carlos Pijnappel. São Paulo: Cosac Naify, 2008.

 
MOOR, Margriet de. O virtuose. Trad. do holandês Paul van Dender. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

 
___. A sonata Kreutzer. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. Rio de Janeiro: José Olympio, 2011.

 
MORTIER, Tine. Mari e as coisas da vida. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. São Paulo: Pulo do Gato, 2012.

MULISCH, Harry. O atentado. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. Rio de Janeiro: José Olympio, 2007.

MULTATULI. Max Havelaar. Trad. do holandês João Carlos Pijnappel. Rio de Janeiro: José Olympio, tradução em andamento.

___. Max Havelaar. Trad. do holandês Daniel Dago. Tradução em andamento.

___. A história do cavouqueiro japonês (parábola/trecho de Max Havelaar). Trad. do alemão de Aurélio Buarque de Hollanda e Paulo Rónai. In: Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial. Vol. 4. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

___.  Providência. (trecho de Ideias). Trad. do alemão de Aurélio Buarque de Hollanda e Paulo Rónai. In: Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial. Vol. 4. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

___. Começou assim (trecho de Ideias). Trad. do alemão de Aurélio Buarque de Hollanda e Paulo Rónai. In: Mar de Histórias: Antologia do Conto Mundial. Vol. 4. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990.

NESCIO. Prosa completa. Trad. do holandês Daniel Dago. Tradução em andamento.

 
NOORT, Saskia. As amigas do clube. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. Rio de Janeiro: Record, 2007.

 
NOOTEBOOM, Cees. Dia de finados. Trad. do alemão José Marcos Macedo. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

 
___. Paraíso perdido. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

 
___. A seguinte história:. Trad. do inglês Ivanir Calado. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995.

 
___. Caminhos para Santiago. Trad. do francês Irene Cubric. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000.

Livro: RITUAIS 
___. Rituais . Trad. do francês Irene Cubric. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995.

 
OOMEN, Francine. Como sobreviver ao primeiro beijo? Tradutor e idioma de partida não informados. Curitiba: Fundamento, 2006.

 
PALMEN, Connie. As leis. Trad. do holandês Paula M. Bennink. São Paulo: Editora 34, 1997.

 
PELGROM, Els. A pequena Sofia. Trad. do holandês Sílvia Reichmann. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

 
POSTHUMA, Sieb. Senhor Casacão. Trad. Monica Stahel (idioma de partida não informado). São Paulo: Martins Fontes, 2007.

SCHMIDT, Annie M.G. Um viking no jardim. Trad. Monica Stahel (idioma de partida não informado). São Paulo: Martins Fontes, 2003.

SLAUERHOFF, Jan Jacob. Espuma e cinza. Trad. do holandês Daniel Dago. Tradução em andamento.

 
TERLOUW, Jan. Sete desafios para ser rei. Trad. do holandês Iveline Lucena da Costa São Paulo: Atica, 1999.

 
TREUR, Franca. Confetes na eira. Trad. do holandês Cristiano Zwiesele do Amaral. São Paulo: Livros de Safra, 2012.

 
VELTHUIJS, Max. A galinha vermelha: seis histórias de bichos. Trad. do holandês Carlos Borges. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

VAN LOOCK, Ann. SLUSZNY, Marc. Amuleto. Tradutor e idioma de partida não informados. São Paulo: Geração Editorial, tradução em andamento.

 
WANG, Lulu. Teatro dos lírios. Tradutor e idioma de partida não informados. Rio de Janeiro: Record, 2000.

 
WESSELING, H.L.. Dividir para dominar; a partilha da África, 1880-1914 . Trad. do inglês Celina Brandt. Rio de Janeiro: Revan, 1998.

 
WETERING, Janwillem van de. Chuva pesada. Coleção O Creme do Crime. Trad. do inglês Angela Melim. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1988.

___. Assassinato em Amsterdã. Trad. do inglês Carlos Eduardo Esteves. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1978.

___. A bruxa de Amsterdã. Trad. do inglês Álvaro Hattnher  São Paulo: Brasiliense, 1988.

___. Um cadáver no dique. Trad. Alvaro Hattnher (idioma de partida não informado). São Paulo: Brasiliense, 1986.

___. Assassinato por controle remoto. Tradutor e idioma de partida não informados. Porto Alegre: L&PM, 1987.

observação: cabe notar que as datas das publicações no brasil acima indicadas não correspondem necessariamente a suas primeiras edições. [denise]



9 comentários:

  1. Oi, Denise, o livro de Huizinga, O outono da Idade Média, teve uma tradução anterior, como O declínio da Idade Média, co-edição Verbo e Edusp.
    Abraço, Alfredo Monte.

    ResponderExcluir
  2. olá, alfredo, legal, obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo17.7.12

    "não ficção"
    "coedição"
    "infantojuvenil"

    ResponderExcluir
  4. olá, prezado anônimo, agradeço por daniel!

    ResponderExcluir
  5. Anônimo17.7.12

    A edição da edusp do "Outono..." era beeeem resumida, e baseada numa edição inglesa,

    certo que o resumo foi acompanhado pelo próprio Huizinga, mas já é uma tradução indireta,

    Denise, você poderia produzir algum texto sobre a questão da tradução "direta/indireta", sei que é um tema batido, mas a maioria dos textos que li são meio fetichistas demais...

    Adoro seu blog!

    ResponderExcluir
  6. Daniel Dago18.7.12

    Agradeço os elogios feitos nas redes sociais, obrigado! Fazer um levantamento assim é sempre difícil... é impossível não "comer bola". Portanto, Denise, por favor, acrescente:

    ASPE, Pieter. Cassino. Tradução do holandês Petra Francis Janssen. Curitiba: Fundamento, 2008.

    ELIAS, Nobert. Estado, processo, opinião pública. (parte holandesa) Trad. do holandês João Carlos Pijnappel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

    RIEMEN, Rob. Nobreza de espírito, um ideal esquecido. Trad. do holandês Petra Francis Janssen. Petrópolis: Editora Vozes, 2011.

    Denise, retire a Xaviera Hollander, apesar de holandesa ela escreveu em inglês. Virei e revirei atrás dessa informação.

    Meus critérios: coloquei a data da edição mais recente, pois é a versão que o leitor encontrará nas livrarias. Exemplo: a Anne Frank tem diversas edições/licenciamentos, mas sempre com a tradução de Ivanir Calado.

    O objetivo principal do levantamento foi saber quais obras de autores de língua holandesa temos no Brasil, NÃO quais edições/traduções temos da mesma obra, apesar da lista conter alguns exemplos deste último, vide Couperus e Multatuli.

    Uma curiosidade: em Portugal, a lista (desatualizada) do que foi publicado por lá é BEM diferente da daqui, eles têm mais clássicos que nós.:
    http://neerlandes.org/pt-pt/literatura_traduzida_em_portugues

    Atenciosamente,
    Daniel Dago

    ResponderExcluir
  7. Não sei se estes livros se enquadram nas categorias mencionadas, mas há três teólogos holandeses cujas obras foram publicadas no Brasil:

    Herman Dooyeweerd, No Crepúsculo do Pensamento Ocidental. Trad. do inglês Guilherme de Carvalho. São Paulo, Editora Hagnos, 2010.

    H. R. Rookmaaker, A Arte Não Precisa de Justificativa. Trad. do inglês Fernando Guarani Jr. Viçosa, Ultimato, 2010.

    Abraham Kuyper, Calvinismo. Trad. (provavelmente tb do inglês) Ricardo Goveia e Ricardo Arantes. São Paulo, Editora Cultura Cristã, 2002.

    ResponderExcluir
  8. que legal, william, aos poucos vamos acrescentando. o critério exclusivo é que o original tenha sido escrito em holandês, independentemente do assunto, da língua usada como base para a tradução brasileira, da quantidade de traduções da mesma obra etc.

    obrigada!

    ResponderExcluir
  9. Daniel Dago22.7.12

    William, obrigadíssimo!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.