15 de mai de 2012

walt whitman no brasil


tentando rematar a constelação nuclear da chamada american renaissance e seguindo uma sugestão de david ericeira, passo a reconstituir a trajetória bibliográfica de walt whitman no brasil. o que pude apurar até o momento foi o seguinte:

em 1942, sai uma coletânea chamada poetas norte-americanos, em organização de gaston figueira, com o poema "vejo uma imensa esfera rolando no espaço" ("a song of the rolling earth") em tradução de bezerra de freitas e octavio azevedo, pela bipa/ editorial novo continente.



data de 1944 aquela que parece ser a primeira coletânea de poemas de whitman no brasil: saudação ao mundo e outros poemas, com prólogo e tradução de mário d. ferreira santos, pela editora flama.



em 1945, luís da câmara cascudo publica sua tradução de três poemas (i hear america singing, the base of all metaphysics e for you, o democracy) no jornal a república de natal, que posteriormente foram apanhados num fino volume de 15 páginas, com o título de três poemas de walt whitman, lançado pela imprensa oficial de recife em 1957:

Câmara Cascudo - Três Poemas De Walt Whitman - Autografado

em 1946, a josé olympio lança a tradução de oswaldino marques de cantos de whitman, em sua coleção rubaiyat:*




em 1955, oswaldino marques organiza uma coletânea de videntes e sonâmbulos, a qual, informa ivo barroso, foi reeditada com o título de o livro de ouro da poesia dos estados unidos, com seis poemas de whitman em tradução de mário ferreira santos ("transbordante de vida"), câmara cascudo ("o fundamento de toda metafísica"), emilio carrera guerra ("quando da última vez floresceram os lilases..."), Oswaldino marques ("saudação de natal") e pompeu de souza. os outros dois poemas são "ó estrela de frança" e "adeus", mas não sei qual deles ou se ambos são de tradução de pompeu de souza.

Capa


em 1956, sai sinfonia da vida (poemas), em tradução de messias donato, sem indicação de editora:

Autor:Whitman, Walt, 1819-1892.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:Sinfonia da vida (poemas)
Imprenta:[1956] 
Descrição física:118 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Entradas secundárias:Donato, Messias P. trad.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes 
Classificação Dewey:
Edição:
811
Indicação do Catálogo:II-319,7,17 

em 1964, geir campos publica pela civilização brasileira sua seleção e tradução de excertos de leaves of grass, dando-lhe o título de folhas de relva - o que pode induzir algum leitor a pensar que seria uma íntegra ; afirmei antes que se tratava da edição de 1855. retiro a informação equivocada: na verdade, não sei em qual versão geir se baseou para sua seleta. ela é reeditada pela brasiliense em 1983, com tradução bastante modificada em relação à de 1964. vem agora com o título de folhas das folhas de relva (retomando as flores das flores do mal, a seleta de guilherme de almeida para a obra de baudelaire) - a partir de 1986, sai também pela ediouro.




em 1976, temos dois excertos de “canto de mim mesmo” (seção I a VI), “ouvi dizer que me acusaram”, “do berço que se embala sem cessar”, “cavalaria a vadear o rio”, “na última vez em que os lilases floresceram junto à porta” e  "a preciosa instituição do amor entre camaradas", in poetas norte-americanos, antologia organizada por paulo vizioli, pela lidador, em edição bilíngue:

Título / Barra de autoria:Poetas norte americanos : antologia bilingue / [organizado por] Paulo Vizioli. -
Edição:Ed. bilingue. -
Imprenta:[Rio de Janeiro] : Lidador, [1976]. 
Descrição física:140p. : il. ; 31cm.
Notas:"Edicao comemorativa do Bicentenario da Independencia dos Estados Unidos da America, 1776-1976."
Inclui bibliografia e indice.

em 1988, em grandes poetas da língua inglesa do século XIX, antologia selecionada e traduzida por josé lino grünewald, pela nova fronteira, saem os poemas "murmúrios da morte celestial", "broadway", "a base de toda metafísica", "a ti, ó democracia" e "uma mulher espera por mim":*



em 1988, sai walt whitman. a formação do poeta, biografia de paul zweig traduzida por ângela melim, trazendo poemas e excertos em tradução de eduardo francisco alves, pela jorge zahar:


em 1992, saem "quando ouvi o astrônomo erudito" e "vi uma aranha silenciosa e paciente" in antologia da nova poesia norte-americana, em seleção e tradução de jorge wanderley, pela civilização brasileira, em edição bilíngue:*



em 1995, sai pela objetiva o cânone ocidental, de harold bloom, em tradução de marcos santarrita. o capítulo chamado "walt whitman como centro do cânone americano" traz os seguintes poemas completos:  clear midnight[in vain were nails driven through my hands] (do caderno pessoal de whitman, inacabado e inédito); the last invocation[it brings the rest around it] (do caderno pessoal de whitman, idem). além disso, aparecem fragmentos dos seguintes poemas: the sleepers, songs of myself, spontaneous me, crossing brooklyn ferry, as i ebb'd with the ocean of life e when lilacs last in the dooryard bloom'd.*

O Cânone Ocidental

em 1996, é lançado o poema "eu canto o corpo elétrico", em tradução de ivo barroso para os cadernos de espetáculos 2, setembro de 1996. disponível aqui.

Cadernos de Espetáculos 2 * Carlos Gomes

em 2000, temos song of myself / canção de mim mesmo em tradução de andré cardoso, pela imago/ alumni, em edição bilíngue:



em 2001, aparece uma seleção e tradução de ramsés ramos para folhas da relva (mas são apenas excertos), pela plano/ oficina editorial da unb.

em 2003, em gênio: os 100 escritores mais criativos da história da literatura, com tradução de josé roberto o'shea, pela objetiva, temos os seguintes poemas completos: as adam early in the morning, [in vain were nails driven through my hands] e [mostly this we have of gods]. além deles, fragmentos de the wound-dresser, when lilacs last in the dooryard bloom'd, spontaneous me, song of myself e as i ebb'd with the ocean of life.*



em 2005, sai folhas de relva em tradução de luciano alves meira, pela martin claret:



em 2006, a iluminuras publica folhas de relva em tradução de rodrigo garcia lopes, em edição bilíngue, a partir da primeira versão do autor (1855):

Folhas de Relva = Leaves of

em 2011, sai a edição de folhas de relva em sua versão definitiva (1889, dita "do leito de morte", única autorizada por whitman em testamento), com tradução de bruno gambarotto, pela hedra:




encontra-se uma excelente súmula da fortuna crítica e tradutória de whitman no brasil no artigo "a voz oceânica de walt whitman", de ivo barroso, disponível aqui. alfredo monte tem uma bela resenha comparando três traduções de um trecho do "canto do respondedor", aqui.

acredito que devem existir vários poemas e excertos traduzidos e publicados em antologias e coletâneas impressas ou virtuais: por exemplo, gentil saraiva jr. aqui. conforme for localizando, acrescentarei as informações.

* agradeço a angelo pela capa de cantos de whitman (1946); a fabrizio lyra pela referência e conteúdo em grandes poetas (1988); a elaphar pela referência e conteúdo em o cânone ocidental (1995) e gênio (2003); a sérgio tadeu guimarães santos pela data de edição da flama e pelas referências sobre o conteúdo da antologia poetas norte-americanos e  "uma aranha silenciosa".

24 comentários:

  1. Tenho quase certeza, mas não tenho como conferir aqui agora, que há poesias de Whitman na antologia de Novos Poetas Norte Americanos de Jorge Wanderley.

    Também acho que há ao menos uma poesia no segundo volume de poesias da Jackson organizada por Ary Mesquita.

    Como não estou em casa, só vou poder conferir no domingo.

    ResponderExcluir
  2. que legal, elaphar! aguardo ansiosa sua confirmação :-))

    ResponderExcluir
  3. Fabrizio Lyra15.5.12

    Eu possuo uma coletânea da editora Nova Fronteira organizada e traduzida por José Lino Grunewald em que constam cinco poemas de Walt Whitman. É uma edição de 1988, bilingue, e os poemas são:"Murmúrios da morte celestial"(Whispers of heavenly death),"Broadway","A base de toda metafísica(The base of all metaphysics),"A ti, Ó Democracia(for you o democracy) e "Uma mulher espera por mim"(A woman waits for me).

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Fabrizio Lyra15.5.12

    Creio que esqueci de colocar o título da coletânea de Grunewald. Se chama "Grandes Poetas da Lingua Inglesa do Século XIX". Ivo Barroso em seu artigo também não a cita.

    ResponderExcluir
  5. Angelo17.5.12

    Denise,

    imagem com a capa da edição de 1946 de Cantos de Whitman aqui: http://img2.mlstatic.com/s_MLB_v_O_f_173234626_6985.jpg

    ResponderExcluir
  6. aaaaaah, angelo, que maravilha, muchas, muchas gracias!

    ResponderExcluir
  7. segundo aaaaaah! fabrizio, muchas, muchas gracias a ti também! que maravilha!!

    ResponderExcluir
  8. Confirmado. Não há nenhum poema de Whitman no volume da Jackson que citei, mas há na antologia do Jorge Wanderley, que vi que já foi adicionado.

    ResponderExcluir
  9. obrigada por avisar, elaphar!

    ResponderExcluir
  10. Cara Denise, obrigado pela menção à minha resenha. E que bacana essa colaboração dos comentaristas, eles também estão de parabéns.
    Abraço, Alfredo Monte

    ResponderExcluir
  11. legal, né, alfredo? fico encantada e desvanecida com essas contribuições preciosas.

    ResponderExcluir
  12. Acebei de descobrir que há vários fragmentos e até alguns poemas completos nos ensaios de Bloom sobre Withman em Gênio (Trad: de José Roberto O Shea) e O Cânone Ocidental (Trad: de Marcos Santarrita).

    Quando tiver mais tempo confiro cada poesia e vejo quais estão completas e quais são fragmentos traduzidos.

    ResponderExcluir
  13. que fantástico, elaphar, com essas indicações vou ver se descubro algo por aqui. obgíssima!

    ResponderExcluir
  14. Desculpa a demora... estou de mudança e não acho metade dos meus livros.

    Em O Cânone Ocidental, de Harold Bloom, em tradução de Marcos Santarrita, aparecem os seguintes poemas de Withman:

    1 - A Clear Midnight
    2 - [In vain were nails driven through my hands] (Do caderno pessoal de Withman, não concluido e não publicado)
    3 - The Last Invocation
    4 - [it brings the rest around it] (Do caderno pessoal de Withman, não concluido e não publicado)

    Além disso, aparecem fragmentos dos seguintes poemas: The Sleepers, Songs of Myself, Spontaneous me, Crossing Brooklyn Ferry, As I Ebb'd with the Ocean of Life e When Lilacs Last in the Dooryard Bloom'd.

    O capítulo do livro em que aparecem é Walt Whitman como Centro do Cânone Americano.

    Em Gênio, também de Bloom, em tradução de José Roberto O'Shea, encontramos os seguintes poemas Completos:

    As Adam early in the morning
    [In vain were nails driven through my hands]
    [Mostly this we have of Gods]

    E fragmentos de The Wound-Dresser, When Lilacs Last in the Dooryard Bloom'd, Spontaneous Me, Song of Myself e As I Ebb'd with the Ocean of Life.

    ResponderExcluir
  15. Esqueci-me do ano e editora: O Cânone Ocidental - Objetiva, 2010.
    Gênio: os 100 autores mais criativos da história da literatura - Objetiva, 2003.

    ResponderExcluir
  16. puxa vida, elaphar, não tenho como lhe agradecer! maravilhoso!

    ResponderExcluir
  17. Sou sobrinho de Oswaldino Marques e fiquei emocionado ao "reencontrá-lo" em seu blog. Embora seja considerado o maior poeta maranhense do Século XX, Oswaldino Marques ainda é um completo desconhecido no Maranhão, terra onde nasceu. Ainda assim, o orgulho de nossa família é imensurável pelo grande poeta, crítico literário, ensaísta, professor e dramaturgo que ele foi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oswaldino marques é um dos grandes tradutores de poesia do brasil - o maranhão tem muito a se orgulhar! obrigada pela visita, regis.

      Excluir
  18. há o WALT WHITMAN Profeta da Liberade de Irineu Monteiro pela Martin Claret de 1984
    foi meu primeiro contato com Whitman e com trechos do melhor livro de todos: FOLHAS DE RELVA

    ResponderExcluir
  19. Olá Denise, quero te agradecer pela pesquisa do histórico de Walt Whitman aqui no Brasil.
    Primeiro, porque gosto da obra poética dele, e em segundo, porque preciso apresentar um seminário em que este assunto é um dos tópicos, já estava pesquisando nos sebos as publicações das traduções de Whitman e hoje achei a pesquisa pronta no seu blog!!
    Tenha a certeza de que citarei o seu blog na hora da apresentação. Faço pós lato sensu de tradução Inglês Português na Anhanguera (antiga IberoAmericana).
    Muitíssimo agradecida!!

    ResponderExcluir
  20. que ótimo, lucia! ficamos muito felizes, os caríssimos leitores que acima deram suas contribuições e eu, em podermos ser úteis..

    ResponderExcluir
  21. Anônimo1.11.14

    Lançada em 1956, a tradução do livro “Sinfonia da Vida” feita pelo jurista Messias Pereira Donato foi revista e atualizada em 2011, publicada pela editora RTM, Belo Horizonte - MG.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.