24 de mai de 2012

stuart mill no brasil

em 1942 sai o primeiro livro de stuart mill entre nós. é sobre a liberdade, pela companhia editora nacional, com tradução de alberto da rocha barros. reeditado pela vozes em 1991, disponível aqui:



em 1963, sai uma nova tradução, da liberdade, no volume que inaugura a coleção "clássicos da democracia" da ibrasa, em tradução de e. jacy ribeiro, com reedições até 1995:




em 1964, na mesma coleção da ibrasa, volume 19, saem considerações sobre o governo representativo, incluindo senso comum (thomas paine) e carta sobre a tolerância (john locke), com tradução de e. jacy monteiro. (não localizei imagem de capa.) atualização com imagem:



em 1972, temos o sistema de lógica dedutiva e indutiva, in bentham/ mill, coleção "os pensadores", vol. XXXIV, pela abril cultural, com tradução de  joão marcos coelho e pablo rubén mariconda:

Clique para ampliar a capa


em 1981, a editora da unb lança nova tradução de considerações sobre o governo representativo, agora de manoel innocêncio de lacerda santos jr.:




em 1982, saem os princípios de economia política, em 2 volumes, na coleção "os economistas", pela abril cultural, em tradução de luiz joão baraúna:




em 1999, sai a lógica das ciências morais, pela iluminuras, em tradução de alexandre braga massella:



em 2000, sai o utilitarismo também pela iluminuras, em tradução de alexandre braga massella:



ainda em 2000, sai a liberdade / utilitarismo em tradução de eunice ostrensky, pela martins fontes:



em 2001, temos os capítulos sobre o socialismo, pela fundação perseu abramo, em tradução de paulo cézar castanheira:



em 2006, a escala lança três volumes de mill - ensaio sobre a liberdade (tradução de rita de cássia gondim), a sujeição da mulheres (tradução de débora ginza)  e o governo representativo (tradução de rita de cássia gondim e débora ginza):



em 2007, pela mesma editora, sai utilitarismo, em tradução de rita de cássia gondim:



também em 2007, sai a autobiografia pela iluminuras, em tradução de alexandre braga massella:




em 2010, a hedra lança sobre a liberdade com tradução de ari r. tank brito:



em 2011, sai mais um sobre a liberdade, pela nova fronteira (saraiva de bolso), mas na tradução portuguesa de pedro madeira, da edições 70:




7 comentários:

  1. O livro considerações sobre o governo representativo tem também uma edição pela Ibrasa, mas não sei de quem é a tradução. Talvez seja do mesmo E. Jacy Monteiro. Já li o sobre a Liberdade. Tradução razoável, algumas passagens confusas, mas no todo, boa.
    De tanto ver má-fé, maracutaia e malandragem de editoras brasileiras, agora leio quase tudo em inglês e espanhol.
    Seu trabalho é magnífico. Tem uma função pública impagável. Mas acho que você deveria tecer juízos sobre as boas traduções. Por exemplo: eu só leio kafka na tradução do modesto carone, niestzsche paulo césar de souza (tem umas traduções do mário ferreira da silva, grande mário, e aquela tradução do assim falava zaratustra do mario da silva).
    Sou fanático por traduções desde que li Ezra Pound há uns vinte anos. A Tradução deve produzir um texto autônomo, vivo. Tradução de Platão é carlos alberto nunes. Heidegger, Casanova. Leio tudo que José Gaos traduz para o espanhol, na cega, sem erro. Enfim, acho que você é a pessoa mais autorizada para recomendar boas traduções. Mas continua seu trabalho de denúncia. Os leitores do Brasil agradecem.

    ResponderExcluir
  2. saiu anônimo aí, gafe. Ranieri.

    ResponderExcluir
  3. obrigada, ranieri. está citado lá: "em 1964, na mesma coleção da ibrasa, volume 19, saem considerações sobre o governo representativo, incluindo senso comum (paine) e carta sobre a tolerância (locke), com tradução de e. jacy monteiro". é que não encontrei imagem de capa e o trecho ficou meio sumidinho lá em cima.

    não comento qualidade de tradução (ou quase nunca), por duas razões principais: para isso, em primeiro lugar eu teria de ler todas ou boa parte das traduções disponíveis de uma obra, cotejando com o original, para poder formar opinião sobre suas respectivas virtudes ou defeitos, o que é simplesmente impossível até por questão de tempo, de dinheiro e mesmo de interesse pessoal. em segundo lugar, acho essa questão de qualidade de tradução um tanto relativa. tirando as francamente ruins, erradas etc., existe uma variedade de traduções possíveis de um mesmo texto que podem ter muitos méritos, umas mais sob alguns aspectos, outras mais sob outros aspectos, em suma, algo onde entram critérios de avaliação mais, digamos, subjetivos. aí é o reino da diversidade de gostos e opiniões, e aí não vejo como nem por que eu haveria ou poderia me arvorar em juiz, entende? mas há alguns tradutores cujo nome, por si só, acaba sendo uma espécie de selo de qualidade, mesmo sem se ter lido aquele texto em particular: herbert caro, por exemplo, ou modesto carone e paulo cézar de souza, que vc citou.
    obrigada pela gentileza!


    ResponderExcluir
  4. Denise,

    o volume d'Os Pensadores tem outro texto além da tradução parcial do Sistema de Lógica. Estou sem o meu volume à mão, mas é um ensaio de 1836, On the Definition of Political Economy; and on the Method of Investigation Proper To It, que foi publicado no volume Essays on Some Unsettled Questions of Political Economy (salvo engano, de 1844).

    Eu não sei qual é a edição de On Liberty que você vai tomar por base para a tradução, mas existe uma edição crítica das obras do Mill publicada no Canadá, as Collected Works of John Stuart Mill, que está disponível on line gratuitamente em http://oll.libertyfund.org/title/165 . Não sei como é a questão dos direitos sobre o original se a tradução incluir o aparato crítico, mas ao menos é uma fonte sólida para o texto base.

    ResponderExcluir
  5. que ótimo, hugo, preciosa a indicação da edição crítica, super-obrigada! a edição que a editora me passou foi a da penguin, e pesquisas de edições anotadas etc. faço por conta própria. então essa sua indicação será realmente de enorme valia. e obrigada também pela informação complementar sobre o vol. d'os pensadores.

    ResponderExcluir
  6. Olá, o System of logic, publicado em 1886, foi publicado no Brasil? Com que título?.

    ResponderExcluir
  7. Flávia Cremachi8.11.15

    Olá, Edmar. O volume dos pensadores contém partes do Sistema de Lógica. A seleção dos trechos se baseia na versão condensada do System of Logic organizada por E. Nagel. O livro VI do Sistema de Lógica - A Lógica das Ciências Morais - foi publicado integralmente pela editora Iluminuras.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.