25 de abr de 2012

dickens X

I.
the chimes (1844) aparece no brasil em 1935 como a voz dos sinos, em tradução de elsie lessa, identificada na orelha do livro, pela cultura brasileira:*

veja-se **


essa tradução de elsie lessa, incluindo a voz dos sinos e o guarda-chaves, é reeditada em 1941 na coleção excelsior, da livraria martins:



e em 1946 pelo clube do livro com o respectivo crédito, coisa meio rara na editora:*



* este volume do clube do livro traz também aventuras de alguns marujos ingleses, em tradução de isak mielnick, e o homem e o espectro, sem crédito de tradução (julgo ser a mesma da edição da garnier de 1908 - veja aqui).

e pela itatiaia em 1976:



II.
em 1959, the chimes sai como "os carrilhões" na coletânea histórias humanas, em seleção e tradução de josé paulo paes, pela cultrix: 



em 1966, essa tradução de josé paulo paes ressurge pela tecnoprint/ ediouro na coletânea os mais brilhantes contos de dickens:

Os Mais Brilhantes Contos de Dickens

e em 2005 na coletânea o manuscrito de um louco e outras histórias, também na ediouro:



III.
em 1961, sai o carrilhão em tradução de maria lúcia de mello e souza para a coleção primavera, da paulinas:

O Carrilhão - Charles Dickens Coleção Primavera 1961

IV.
em 2004, sai pela martin claret um volume com cântico de natal e os carrilhões, com tradução em nome de "john green" (nome que consta em outras traduções espúrias da editora). quanto ao "cântico de natal", não passa de cópia da tradução de tito marcondes, de 1946. veja-se aqui. quanto a "os carrilhões", não cheguei a pesquisar suas fontes, mas é visível a presença de elementos lusitanos no texto ("registo", "antes queria", "ensolhado", "caluda", o uso do "você" no começo do conto, que depois curiosamente prossegue com o "tu", etc.).


acompanhe as traduções de dickens no brasil aqui.

no caso de a voz dos sinos, agradeço a fabrizio lyra pela retificação feita em comentário abaixo.


* atualização em 27/03/2013: de fato, essa edição pela cultura brasileira, em tradução de elsie lessa, inclui também "o guarda-chaves". recebeu uma breve nota no correio de são paulo, em 11 de junho de 1935.

** atualização em 26/05/13: agradeço a dainis karepovs pela referência e imagem de capa e aba.

2 comentários:

  1. Fabrizio Lyra26.5.12

    Denise, revendo o quadro de traduções de Dickens no Brasil, vi um pequeno erro: a capa que você coloca como sendo uma relançamento da tradução de Elsie Lessa pela tecnoprint/ediouro em 1970 é na verdade uma tradução de José Paulo Paes. É justamente a que eu tenho: "Os Carrilhões e outros contos"

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. opa, fabrizio, estou corrigindo (na verdade, o que a tecnoprint/ ediouro relançou da elsie lessa foi o conto de natal! ma faute).


    obrigadíssima!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.