13 de mar de 2012

o idiota

a primeira das quatro traduções desta obra entre nós sai com o título de o príncipe idiota:


dermeval café e oswaldo castro, waissman, reis & cia., 1931 (pelo francês)

então segue-se:


josé geraldo vieira, josé olympio, 1949 (indireta, mas não sei a língua de interposição)
(aqui na capa de 1955)

depois vem:


natália nunes e oscar mendes, aguilar, 1963 (pelo espanhol)

por alguma razão misteriosa, desde 1967 a tecnoprint/ediouro publica essa tradução apenas em nome de oscar mendes:



passados quase quarenta anos, temos:


paulo bezerra, ed. 34, 2002 (direto do russo)

acompanhe a pesquisa sobre as traduções de dostoiévski no brasil aqui 

2 comentários:

  1. Mario Luiz Frungillo17.9.13

    Olá, Denise,
    sobre as traduções da Aguilar, duas coisas:
    1. elas não são de Oscar Mendes e Natalia Nunes, a quatro mãos. Cada um deles traduziu sozinho algumas obras. No interior de cada volume vem a informação: todas as obras deste volume foram traduzidas por Natália Nunes / Oscar Mendes, ou então se discrimina quem traduziu o que. Assim, não houve erro da Ediouro ao atribuir a tradução de O idiota só a Oscar Mendes.
    2. Sempre consta que essas traduções foram feitas do inglês. Mas nas introduções que cada um dos tradutores escreveu para cada obra se fazem frequentes referências à tradução das obras completas por Rafael Cansinos Assens, publicada pela Aguilar espanhola. Não seria esse o texto utilizado por Nunes e Mendes?

    ResponderExcluir
  2. obrigada pelo toque, mario, sei que de fato isso ocorre, por exemplo, nas obras completas de tolstói. tenho apenas alguns volumes avulsos dessas traduções do dostoiévski, em que consta sempre natália nunes e oscar mendes, inclusive o idiota, pela l± daí a minha surpresa em relação à ediouro. ademais, até onde sei, é por muito favor, e como quem diz, que oscar mendes foi cotradutor com a natália, nesses volumes em que ele aparece junto com ela (tb irmãos karamazov e crime e castigo). como a natália nunes era portuguesa, o que oscar mendes fazia, até onde sei, era uma "revisão" abrasileirando o texto e seu nome saía junto.

    quanto à referência à edição espanhola, faz muito sentido. alguma hora vou ter de comprar essas obras completas pela aguilar, para checar melhor. foi o que houve com os volumes do shakespeare cujas traduções tb aparecem em nome de oscar mendes, agora em pretensa parceria com cunha medeiros. cunha medeiros traduziu da edição espanhola e o oscar mendes fez o costumeiro: deu apenas uma revisada e tascou seu nome como tradutor. vou correr atrás, e agradeço de novo as indicações.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.