26 de mar de 2012

kafka, esparsos


I.
em 1956, ano em que se inauguram as traduções de kafka no brasil com a metamorfose por brenno silveira (pela civilização brasileira) e uma coletânea de parábolas e fragmentos escolhidos e traduzidos por geir campos (também pela civilização brasileira, coleção maldoror), há de se incluir também "um médico rural", em tradução de a. barbosa rocha, publicado em titãs da literatura, sétimo volume da coleção os titãs, pela editora el ateneo:



II. em 1958 (imagino, pois meu exemplar é da segunda edição, de 1959), sai "o jejuador" em tradução de ligia junqueira caiuby, integrando a coletânea maravilhas do conto universal, pela cultrix.

III.
em 1959, sai "um faquir",  em tradução de aurélio buarque de hollanda e paulo rónai publicada como o  "conto da semana", coluna semanal que ambos, ora juntos, ora alternadamente, mantinham no diário de notícias (ver zsuzsanna spiry, aqui).

IV.
em 1967, a editora perspectiva, em sua coleção judaica dirigida por jacó guinsburg, lançou um alentado volume chamado entre dois mundos, a situação dos judeus vista por autores judeus, com 45 textos entre contos e ensaios.



entre eles, há dois contos de kafka: "vista da galeria", na seção preconceitos, e "a construção de uma cidade", na seção o novo mundo. infelizmente, não sei quem foi o tradutor.

V.
em 1969, junto com a metamorfose de brenno silveira (pelo inglês), a civilização brasileira lança "o artista da fome", em tradução de eunice duarte, e "na colônia penal", de leandro konder, ambas pelo francês.



VI.
em 1972, a artenova lança uma coletânea curiosa: a solidão segundo... hemingway, mccullers, kafka, bradbury, borges, com seleção, introdução, notas e tradução de hermenegildo de sá cavalcanti: 



o conto de kafka escolhido para integrar a coletânea foi "na colônia penal".

VII.
temos em 2010 28 desaforismos, em tradução de silveira de souza, pela edufsc e bernúncia editora.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.