11 de mar de 2012

faulkner no brasil



seguindo a sugestão de enzo potel, fiz um levantamento das traduções brasileiras da obra de william faulkner. ele escreveu dezenove romances, 125 contos (sem contar os incluídos nos romances), uma peça, vinte roteiros para o cinema, seis volumes de poemas, além de vários ensaios. segue abaixo a relação por ordem cronológica da primeira edição - infelizmente, mostra como nossa faulkeriana tem muitas lacunas:

# pelo que consegui localizar, é no ano de 1945 que se iniciam as primeiras traduções de faulkner no brasil. saem dois contos:

1. "uma rosa para emily", com tradução de lia corrêa dutra, em os norte-americanos antigos e modernos, uma bela antologia organizada por vinícius de moraes e publicada pela editora leitura. essa obra trafegou para o catálogo da ediouro algumas décadas atrás, onde se encontra até hoje, com o título contos norte-americanos: os clássicos.


imagem: aqui

essa tradução de lia corrêa dutra foi reeditada em outras antologias: em 1958, obras-primas do conto norte-americano, organizada por sérgio milliet (pela martins), e em 1963, contos norte-americanos, na biblioteca universal popular (bup):

CONTOS NORTE-AMERICANOS



2. "desceu o sol", em tradução de j. da cunha borges, na antologia os mais belos contos norte-americanos dos mais famosos autores, pela editora vecchi. muito infelizmente, não consegui nenhuma imagem de capa.


Título / Barra de autoria:Os mais belos contos norte-americanos dos mais famosos autores.
Imprenta:Rio de Janeiro, Ed. Vecchi [1945] 
Descrição física:322 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Classificação Dewey:
Edição:
813.08
Indicação do Catálogo:813.08/M231 

a título de curiosidade, também em 1945 a revista ribeu, III, 8, inaugura uma nova seção chamada "antologia de contos norteamericanos" justamente com faulkner: publica "o segredo da emilia" ("a rose for emily"), com prólogo e tradução de oton m. garcia.

# em 1948 começam a sair os romances. são publicados dois:

1. luz de agosto, em tradução de berenice xavier, na coleção nobel da ed. globo:



reeditada a partir dos anos 1980 pela nova fronteira e também pelo círculo do livro (1991), com o título alterado para luz em agosto.

2. santuário, em tradução de ligia junqueira schmidt, na coleção "oceano", vol. 12, do instituto progresso editorial (ipe). essa tradução foi reeditada várias a partir de 1976 na coleção "clássicos modernos" da abril cultural.



# em 1956 sai uma fábula, com tradução de olívia krähenbühl, pela editora mérito:

Clique para ampliar a capa

a partir de 1961, a tradução de olívia passa a ser publicada pela nova fronteira (acima à direita, capa de 1983)

# em 1957, sai mais "uma rosa para emily", sem indicação de tradutor, em maravilhas do conto norte-americano, cultrix (não duvido que seja reprodução da tradução de lia corrêa dutra, 1945):



# em 1958, a agir lança oração para uma negra, peça em sete quadros, adaptação teatral de camus, com tradução de guilherme de figueiredo:




# em 1959, na biblioteca das seleções reader's digest, ed. ypiranga, sai o conto "dois soldados", em tradução de cecilia thompson guarnieri:


imagem aqui

# em 1963, os desgarrados, em tradução de brenno silveira, sai na coleção "biblioteca do leitor moderno", pela civilização brasileira:



também em 1963, a imago/lidador lança uma antologia de vários autores, 7 novelas clássicas, trazendo de faulkner o conto "folhas vermelhas" [não consegui descobrir o tradutor]:


# em 1964, paga de soldado sai em tradução de luiz drummond navarro, pela delta, reeditada em 1970 pela opera mundi:



# em c. 1964, o conto "terra dourada" aparece numa antologia chamada a respeito de uma pecadora e outras histórias de hollywood, em tradução de rudy margherito e guarany gallo, pela livraria exposição do livro (futura hemus; note-se o nome de faulkner em destaque, como se fosse o autor de todos os contos da coletânea):

Clique para ampliar a capa

# em 1965, na biblioteca das seleções reader's digest, ed.ypiranga, sai "a travessia de hell creek" [não consegui descobrir o autor da tradução]:


# em 1966, palmeiras selvagens, em tradução de newton goldman, sai pela nova fronteira, com várias reedições, aqui na capa do círculo do livro, de 1993:


# em 1969, em as melhores histórias americanas, sai o conto "escaramuça contra sartoris", em tradução de francisco rocha filho, pela editora saga:



# em 1970, o urso, em tradução de hamilton trevisan, sai pela editora vertente:


# em 1972, sai "pavana para emily", em tradução de newton goldman, numa coletânea chamada antologia macabra, pela nova fronteira:

Antologia Macabra - Steinbeck, Faulkner, Capote E Outros

# em 1973, pela expressão e cultura, sai enquanto agonizo, em tradução de hélio pólvora:


# em 1975, o intruso sai em tradução de leonardo fróes, pelo círculo do livro (à esquerda, capa de 1996):

pela siciliano, 1995

# em 1976, a árvore dos desejos sai pelo círculo do livro, em tradução de hamilton trevisan:

A Arvore dos Desejos - WILLIAM FAULKNER

# em algum ano entre 1975 e 1979, finalmente sai o som e a fúria, em tradução de fernando nuno rodrigues. existem alguns cadastramentos com data de edição em 1956, mas a meu ver são inconfiáveis, já que o círculo do livro só começa a existir a partir de 1973. em 1983, a obra passa a ser publicada pela nova fronteira:



absalão, absalão! sai em 1981 pela nova fronteira, em tradução de sônia régis:


ainda em 1981 sai desça, moisés, em tradução de hélio pólvora, pela expressão e cultura:



os invencidos, em tradução de waltensir dutra, sai também em 1981, pela mesma expressão e cultura:




depois parece haver um intervalo de uns doze, treze anos até surgirem novas traduções.

# em 1994, sai três novelas, com "cavalos malhados", "o velho" e o urso", em tradução de ângela perez de sá, pela civilização brasileira:


o povoado sai em tradução de wladir dupont em 1997, pela mandarim:


também em 1997, pela mandarim, sai a cidade, em tradução de wladir dupont: 


# em 1998, sai "setembro seco", em tradução de carlos daghlian, na coletânea os herdeiros de poe: uma antologia do conto norte-americano no século XX, organizada por munira mutran, pela olavobrás:


em 1999, também em tradução de wladir dupont, sai a mansão pela mandarim:


luz em agosto sai em nova tradução, agora de celso mauro paciornik, pela cosac naify, em 2000:


enquanto agonizo, em tradução de wladir dupont, sai pela mandarim em 2001:

 reeditado em 2010 pela l&pm
# esquetes de nova orleans sai na tradução de leonardo fróes em 2002, pela josé olympio:

ESQUETES DE NOVA ORLEANS

ainda em 2002, sai mais uma tradução de "uma rosa para emily", agora de octávio marcondes, na antologia organizada por flávio moreira da costa, os 100 melhores contos de crime e mistério da literatura universal, pela ediouro:

Capa

também em 2002, sai "carcassone" em tradução de sueli cavendish, na revista continente, disponível aqui:

Revista Continente

# em 2003, sai the reivers com o título de os invictos, em tradução de wladir dupont, pela arx:


palmeiras selvagens, em tradução de newton goldman (que saíra pela nova fronteira em 1966) e agora com a colaboração de rodrigo lacerda, sai pela cosac naify em 2003:


também em 2003, uma nova tradução de o som e a fúria, agora por paulo henriques britto, pela cosac naify:


# em 2004, sai "a tarde de uma vaca" em tradução de sueli cavendish, na revista investigações, vol. 17, 1, disponível aqui:

Vol. 17, Nº 1

# em 2008, sai "havia uma rainha", em tradução de sueli cavendish, na revista investigações, vol. 21, 1, disponível aqui:

Vol. 21, Nº 1

# em 2008, sai "ad astra" em tradução de sueli cavendish, na revista eutomia, I, 2, disponível aqui

Eutomia - www.ufpe.br/eutomia

# mais uma nova tradução, agora de a árvore dos desejos, feita por leonardo fróes para a cosac naify, em 2009:


no mesmo ano de 2009, "cai o sol da tarde" em tradução de adriano scandolara sai pela arte e letra estórias: edição F:

Arte e letra: Estórias F

ainda em 2009, paulo moreira disponibiliza no portal literalaqui, sua tradução de "wash" e "celeiro queimando" (pequena retificação: à diferença do que informa paulo moreira em sua introdução, "o urso", "setembro seco" e "cavalos malhados" estão disponíveis em português).


sartoris, na nova tradução de claudio alves marcondes, sai pela cosac naify em 2010:


# em 2011, sai "aquele sol noturno" em tradução de sueli cavendish, em eutomia, revista de literatura e linguística, IV, 8, disponível aqui.

topo90Eutomia
no mesmo ano, também por sueli cavendish, sai "folhas rubras" na revista usp n. 90.

lance mortal, antologia de contos policiais de faulkner em tradução de wladir dupont, sai pela benvirá em 2012:

LANCE MORTAL


quanto aos livros apenas de faulkner, creio que o levantamento das traduções no brasil está razoavelmente completo. citei algumas antologias de autores variados, mas deve haver uma quantidade razoável de contos seus em outras miscelâneas. por ora, fico devendo esse esmiuçamento mais detalhado. conforme for encontrando mais coisas, atualizarei aqui.

agradeço as retificações de alfredo monte, nos comentários.

imagens: salvo outra indicação, todas as imagens foram extraídas do google images


20 comentários:

  1. Existe uma tradução anterior de The sound and the fury; foi publicada pelo Círculo do Livro em 1956, mas não tenho informações sobre o tradutor.

    ResponderExcluir
  2. Deize11.3.12

    Obrigada, Denise! Mais um levantamento fundamental. Fica a dúvida: não há nenhuma edição recente com contos de Faulkner traduzidos?

    ResponderExcluir
  3. prezado b.r., agradeço. também vi essa referência na estante virtual, mas não incluí, pela simples razão de que o círculo do livro nem existia em 1956 (a sociedade entre a abril e a bertelsmann alemã, que dá origem ao círculo do livro, se inicia nos anos 70, mais precisamente em 1973, para o sistema de distribuição domiciliar). acho mais provável ser erro de cadastramento do livreiro.

    ResponderExcluir
  4. olá, deize: obrigada! pois é, lance mortal (com seus contos policiais) é uma edição nova, saiu agora em 2012. de resto, não tenho notícia de outras coletâneas dele em tradução recente.

    ResponderExcluir
  5. É estranho. Tive esta edição do suposto Círculo do Livro em mãos, é a única tradução disponível na biblioteca de Ciências Humanas da UFRGS. No registro do catálogo (http://sabi.ufrgs.br/F/DMMN97X81LD1JHAAMT6S9JXBKQYIG17T996TUYAMS2NNE87QD4-15106?func=full-set-set&set_number=097097&set_entry=000003&format=999), conta como "Círculo do Livro". Não existe a possibilidade dessa ser uma nova edição da tradução da Nova Fronteira? O erro, no caso, seria de datas, e não de editoras.

    ResponderExcluir
  6. olá, b.r., aí não sei dizer. a nova fronteira tampouco existia nos anos 50 (foi fundada por carlos lacerda em 1965).

    ResponderExcluir
  7. Cara Denise, levantamento primoroso, como sempre. Só um pequeno reparo: a tradução das Três Novelas, por Angela Perez de Sá, saiu pela Civilização Brasileira. Resenhei essa edição para A TRIBUNA.
    Obrigado, e um grande abraço, Alfredo Monte.

    ResponderExcluir
  8. olá, alfredo, obrigada, corrigindo!

    abraço
    denise

    ResponderExcluir
  9. Só mais uma coisa: a tradução do Nuno para O SOM E A FÚRIA foi publicada, antes, pelo Círculo do Livro (aliás, com uma capa horrorosa), creio que lá por 79. Foi a primeira edição que eu tive de um livro de Faulkner.
    Abração.

    ResponderExcluir
  10. legal, alfredo. está uma novela descobrir a data certa da primeira edição... vou ver se consigo apurar com mais precisão. obrigada!

    ResponderExcluir
  11. aliás, sobre esses cadastramentos do o som e a fúria dando o ano de 1956, estou achando que se refere à edição de sound and fury utilizada na tradução (a da modern library). em muitos outros registros, essa edição consta como "sem data".

    ResponderExcluir
  12. É, e o Círculo (assim como a Record em outros tempos) tinha o péssimo hábito de não indicar o ano da publicação, a não ser nos seus primeiros anos. Ainda bem que temos a nossa sherlock das traduções.

    ResponderExcluir
  13. Enzo Potel11.3.12

    Denise, so cool!!
    A capa de 1963 de "os desgarrados" é muito bonita, não acha? Tinha aqui no sebo onde trabalho.

    ResponderExcluir
  14. é linda, sim. eugênio hirsch renovou toda a linha de capas da civilização, desde o final dos anos 50. um capista e tanto!!

    ResponderExcluir
  15. Em compensação, a capa da Siciliano para O INTRUSO parece ter saída de um dos LPs da Baby Consuelo, na sua época "Telúrica".

    ResponderExcluir
  16. Queria informar a publicação impressa de "Folhas Rubras", na tradução de Sueli Cavendish, na revista da usp, nº90, que ainda não está disponível online

    ResponderExcluir
  17. olá, sueli, obrigada por informar!

    ResponderExcluir
  18. Um agradecimento ao estilo Benjy/Quentin:

    a denise um levantamento primoroso que a tradução é a própria cultura não apenas o veículo dela o faulkner tantas vezes traduzido e saindo novamente e o som e a furia e agora o sartoris também o que não existia em 1956 porque não havia ediouro o JK um presidente tão importante um excelente blog o seu ficamos muito agradecidos denise.

    ResponderExcluir
  19. Alfredo Sodré13.11.16

    Vale lembrar também que a nova tradução de "Absalão! Absalão!" pela dupla Celso Mauro Paciornik e Julia Romeu ficou excelente. Um dos últimos caprichos da Cosac antes de seu fim.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.