31 de mar de 2012

dickens IV

retomando os primeiros lançamentos de dickens no brasil, entre 1908 e 1911, que listei aqui, eis as outras traduções das mesmas obras:

I.
a. para scenas da vida ingleza, em 1996 sai uma curta seleção de retratos ingleses feita por maura sardinha, traduzidos por josé paulo paes, pela ediouro:

RETRATOS INGLESES

b. em 2003 vamos ter histórias londrinas (sketches by boz), em tradução de marcello rollemberg, pela record:




II.
o abysmo e o homem e o espectro ressurgem:

a. o abismo em 1943, em tradução de e. p. fonseca, pela pongetti:



esta tradução atualmente está no catálogo da ediouro:

Livro O Abismo Coleção: Classicos de Bolso da editora Ediouro

b. no mesmo ano, sai o abismo (clube do livro), sem identificação do tradutor, mas, a julgar pelos padrões da casa, não me surpreenderia se fosse cópia d'o abysmo da garnier.



a. em 1946 sai uma coletânea do clube do livro, a voz dos sinos, que traz o conto do título (em tradução de elsie lessa), "aventuras de alguns marujos ingleses" (em tradução de isak mielnick) e "o homem e o espectro", este sem crédito de tradução. meu palpite é que é cópia da edição da garnier.



b. em 1947, o clube do livro lança um volume com o homem e o espectro, sem créditos, seguido dos "marujos" na tradução de mielnick. mesmo palpite.




III.
há inúmeras adaptações e condensações de david copperfield. mas a obra propriamente dita, na íntegra, só teve mais uma tradução depois da de 1909 - aliás, a rigor, esta seria a única tradução brasileira!* foi feita por costa neves e saiu em 1941 pela pongetti, com várias reedições até 1962:


foi licenciada para a jackson para algumas edições entre 1947 e 1963:

David Copperfield (Em 2 Volumes)

e depois para a tecnoprint em 1987 e para a ediouro em 1993:

Livro: DAVID COPPERFIELD


IV.
finalmente, para the old curiosity shop, que tinha saído como o armazém de antiguidades em 1910/11, muitíssimo incrivelmente não encontrei nenhuma, nenhuma tradução brasileira* - um espanto! e pensar que a pequena nell é um dos personagens mais famosos da literatura, responsável pelo maior número de lenços encharcados de que se tem notícia na história... já traduções portuguesas, há várias. mas, só para não ficar uma coisa assim tão bizarra, deixo registrada uma adaptação lançada em 1961, a galeria do antiquário, feita por maria lúcia de mello e souza para a coleção primavera, da paulinas:



* em ambos os casos, espero que eu esteja errada.

acompanhe as traduções de dickens no brasil aqui.

5 comentários:

  1. saiu uma tradução de josé rubens siqueira pela cosac naify recentemente. vale a pena dar uma investigada melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada. esse post é de 2012; quando eu vier a atualizá-lo, complementarei com esse dado.

      Excluir
  2. Fernando Simões27.7.15

    Denise, essa tradução de David Copperfield feita pelo Costa Neves infelizmente tem graves problemas. Partes inteiras foram suprimidas, alguns diálogos de personagens secundários (como alguns da engraçadíssima sra. Gummidge) foram resumidos em uma ou duas linhas, ou simplesmente não são mencionados.

    É uma pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernando, acho que você me salvou de uma má compra. Já ia fechar negócio em uma edição da Pongetti. Estou em busca da edição mais próxima possível da original. Há alguma que você recomenda?

      Excluir
    2. letícia, tem a recente do josé rubens siqueira, pela cosac, mencionada acima pela ester. não cheguei a compulsá-la, mas zé rubens é excelente tradutor.

      Excluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.