31 de mar de 2012

dickens III

continuando a comemoração dos 200 anos de nascimento de charles dickens, vale a pena rememorar sua história entre nós.

dickens entra no brasil em 1870 pela mão de machado de assis. aliás é um caso bem engraçado, porque machado estava fazendo a tradução de oliver twist para o folhetim do jornal da tarde, a partir de uma versão em francês. a certa altura, enfartou-se daquilo e simplesmente largou a tarefa no meio, sem nem terminar o capítulo que estava traduzindo, o 28 (de um total de 53) - sem contar que os capítulos publicados já tinham sido bastante mutilados, não sei se por machado (pun unintended) ou por algum editor do feuilleton.

tirando essa estreia canhestra de dickens no brasil (que pode ser conferida aqui), é a h. garnier a primeira a publicá-lo, como carlos dickens:

em 1908, sai cenas da vida ingleza, em dois volumes, em tradução portuguesa de um suposto "k. d'avellar", na verdade nome inventado pelo h.garnier para suas estripulias editoriais:





ainda em 1908, a mesma h. garnier lança  o abysmo, seguido de o homem e o espectro. não localizei os créditos de tradução; valeria a pena consultar as traduções portuguesas de câmara lima e pedro dos reys:



em 1909, sai david copperfield em 2 volumes, em tradução do português joão de oliveira:

Autor:Dickens, Charles, 1812-1870.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:David Copperfield.
Imprenta:Rio de Janeiro, H. Garnier, [1909] 
Descrição física:2 v.

em 1910/11, é a vez d'o armazém de antiguidades, em dois volumes, também em tradução do lusitano joão de oliveira, pela h. garnier (livraria garnier):



estas quatro volumes já são matéria suficiente para um próximo post, sobre outras traduções das mesmas obras até a data presente.

acompanhe as traduções de dickens no brasil aqui.

5 comentários:

  1. olá, denise. scenas da vida ingleza e o abysmo são traduções de quais romances? não me veio nenhum nome à cabeça parecido em inglês. abraço

    ResponderExcluir
  2. olá, enzo. respectivamente sketches by boz e no thoroughfare (peça em colaboração com wilkie collins)

    ResponderExcluir
  3. André Matoso15.2.17

    Certa vez, ouvi dizer mesmo que a tradução de Oliver Twist por Machado de Assis havia tido certas "mutilações", e por isso, até evitei adquirir a edição lançada pela Hedra.
    A propósito, soube recentemente que a editora Amarilys irá lançar uma edição com o texto integral dessa obra ainda em 2017. Só espero que a tradução seja competente à altura de Dickens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o lance interessante da edição da hedra, andré, é que foi o ricardo lísias que completou a tradução, com um estudo cuidadoso do estilo e soluções de machado, bem como um cojeto com as edições em inglês e francês. como ficou evidente que machado se basaeara na tradução francesa, lísias fez a complementação da tradução seguindo esses vários fios. é muito interessante.

      Excluir
  4. André Matoso15.2.17

    Não sabia desses detalhes, Denise. Sendo assim, esta edição da Hedra tem um potencial a ser avaliado. Vou conferir assim que puder.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.