24 de jan de 2012

consulta à fbn

acabo de enviar um e-mail à presidência da fundação biblioteca nacional e à sua coordenação de comunicação, que transcrevo abaixo:
prezado sr. clóvis horta: 
chegou ao meu conhecimento - como naturalmente deve ter chegado também ao dos srs. - que a editora Martin Claret admitiu publicamente que havia inscrito obras fraudadas no programa do livro popular e declarou que "pedirá à FBN que remova temporariamente do cadastro os títulos cujas novas traduções ainda não estão prontas.", em http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2012/1/21/programa-da-fbn-inclui-obras-suspeitas-de-plagio 
gostaria de saber se essa solicitação da editora já chegou às mãos dos senhores e se, mediante tal solicitação da própria editora, a FBN se sentirá legitimada para efetuar a remoção temporária dos títulos com plágios e contrafações de tradução inscritos no referido programa. 
como apontei no blog http://naogostodeplagio.blogspot.com, numa avaliação inicial cerca de 70 obras apresentam problemas quanto à sua idoneidade legal. 
agradeço 
atenciosamente,
denise bottmann


4 comentários:

  1. Denise, parabéns pelo trabalho e por sua constante preocupação em relação a boa qualidade literária na nossa caótica Pindorama.

    um trabalho que fiz em relação ao programa do livro popular foi analisar brevemente todos os 10831 títulos listados, e pré-selecionar os 2000 que mais indicaria para compor ao acervo das Bibliotecas Comunitárias, com as quais trabalho; fiz tb uma seleção dos 150 'imprescindíveis', destes.

    esse trabalho está disponível no blog da Rede Brasil de Bibliotecas Comunitárias [ http://rbbconexoes.blospot.com ] Eu agradeceria muito se vc tivesse alguma opinião / sugestão a respeito.

    A escolha dos livros se dará até o dia 13/02. Algumas Bibliotecas já tem tomado por base essa lista que realizei, então, se vc verificar algum erro crasso, me avise pra que eu possa corrigi-lo.

    E se o trabalho tiver sido bem feito, peço favor em sua divulgação (:

    Um abraço, e até mais!

    ResponderExcluir
  2. olá, abrão, que boa iniciativa - agradeço o contato. não me sinto à vontade para opinar sobre o conteúdo específico de sua seleção: isso compete às bibliotecas envolvidas no processo, não a mim. o que realmente me preocupa é que alguma biblioteca adquira obras espúrias (como a volta ao mundo em oitenta dias, da martin claret, que você incluiu em sua seleta), bem como - e aí mais por uma questão de princípio pessoal - qualquer obra de editoras que violam tão descaradamente os princípios mais básicos da legalidade.

    um abraço
    denise

    ResponderExcluir
  3. Será que agora a Biblioteca Nacional vai assumir, de fato, o papel de passiva chanceladora do crime?

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.