27 de nov de 2011

zaratustra, editora escala I


ASSIM FALAVA ZARATUSTRA - SERIE FILOSOFAR ( 0 - Edição 1 ) - ISBN. 9788576665045
eu tinha apontado aqui que o trecho inicial de assim falava zaratustra no release da editora escala para sua edição na "série filosofar", com tradução em nome de ciro mioranza, era absolutamente idêntico à antiga tradução feita ou revista por josé mendes de souza.



encomendei um exemplar, mas, ao invés da edição da "série filosofar", o livreiro enviou outra, integrante da coleção "grandes obras do pensamento universal", da mesma editora, também em tradução de ciro mioranza. não me importei muito, pois imaginei que o conteúdo seria um só. 

a primeira constatação é que a abertura de zaratustra no volume das "grandes obras" é muito diferente do que consta no release da "série filosofar" (transcreverei no próximo post). mas logo adiante começam a surgir coisas bizarras: frases idênticas às de josé mendes de souza, intercaladas com frases bem diferentes; frases muito similares às de josé mendes, apenas com um ou outro termo diferente; depois, longos trechos, até páginas inteiras praticamente iguais às de josé mendes. em outro post a seguir, documentarei essas minhas afirmativas com vários exemplos ilustrativos. 

diante de muitos indícios estranhos, fiquei com uma dúvida: afinal, de onde teria surgido o texto do release, apresentado como tradução de ciro mioranza, se não é o que consta no volume das "coleção grandes obras"? numa dessas, será que ele não constaria na edição da ''série filosofar"? assim, resolvi encomendar um exemplar desta última (mas a outro livreiro!), que deve chegar na próxima semana. por ora, passemos ao que temos em mãos.
.

8 comentários:

  1. Denise, este seu post sobre Zaratustra citando um indivíduo chamado Ciro Miorzanza vem a coincidir com uma pesquisa que tenho feito. Como sou escritor, muito estranhei os textos sectários desse sujeito ao "traduzir" Nietzsche de uma maneira hostil, revelando sua notória idolatria à doutrina cristã. Não curiosamente, a imensa maioria de seus livros traduzidos e escritos são apologia ao cristianismo. Mas ao fazer a pesquisa, não se encontra absolutamente NADA sobre este indivíduo, o que sugere que seja um pseudônimo de alguém. Procurei então levantar mais detalhes, e cheguei ao nome de Hercílio de Lourenzi, presidente da Editora Escala, onde é publicada a maioria de suas traduções. Ao ler sobre a história desse sujeito, descobri que foi seminarista, é católico fervoroso, e estudou filosofia. Não posso fazer qualquer afirmação, mas suspeito fortemente que Ciro Mioranza não existe. Acredito que seja o pseudônimo de Hercílio de Lourenzi, que, a fim de proteger sua religião combatendo as ideias de Nietzsche, publica opiniões, prefácios e capas claramente proselitistas. Uma demonstração de amadorismo e parcialidade, que a partir de hoje para mim, exclui a Editora Escala de qualquer métrica de credibilidade.

    ResponderExcluir
  2. prezado rb, fiquei muito surpresa com a hipótese. mas o presidente de uma gigante editorial, como é a escala, teria tempo de "traduzir" ou adaptar traduções com tal produtividade? em todo caso, numa rapidíssima busca cheguei a http://www2.uol.com.br/JC/_1998/1406/cc1406e.htm - onde há alguns detalhes sobre ciro mioranza.

    ResponderExcluir
  3. aqui um breve perfil para baixar em pdf
    Clique aqui para baixar a ficha técnica - Primavera Editorial
    www.primaveraeditorial.com/portal/.../2-fichas-tecnicas.html?...98:na...‎
    Ciro Mioranza é formado em Letras na PUCRS, com especialização em Linguística nas Universidades de Roma, Paris, Southampton ... Cultura da Itália e ex-professor de universidades brasileiras. Tradutor de inúmeros livros, dentre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. denise, não consigo acessar o link que você postou. tem como colocar de novo?
      ou seja, a partir da sua resposta da pra entender que você não acredita que ciro eja uma não-pessoa, correto?
      é que estou fazendo uma pesquisa sobre Zaratustra pra escrever uma resenha e esse ponto a partir do Ciro me chamou atenção! muito interessante!

      Excluir
    2. oi denise! não consgio acessar o link que vc postou. tem como enviar de novo?

      quer dizer, pelo tom da sua resposta dá pra imaginar que vc não acredita que Ciro seja uma não-pessoa, correto?
      é que estou escrevendo uma resenha de Zaratustra a partir da minha leitura dessa edição da Escala, e esse é um ponto interessante.
      grande abraço! fico no teu aguardo

      Excluir
  4. Anônimo27.4.14

    Prezada Denise;
    Não existe nada de estranho ou errado com a tradução Ciro Mioranza do referido texto, ocorre exatamente o mesmo critério utilizado, por exemplo, para a tradução da Bíblia sagrada - procura-se não ousar utilizar termos genericamente sinônimos ou demasiadamente remotos aos originais, exatamente para a preservação da identidade e credibilidade da obra em tela - ademais tome-se por exemplos algumas traduções contemporâneas dos textos sagrados.

    JCarlos Poti

    ResponderExcluir
  5. Denise, o que mais me chamou a atenção foi o seguinte:
    1. Encontrei traduções de Ciro Mioranza do francês, do italiano, do alemão e do grego.
    2. A maioria das traduções foi publicada pela Editora Escala.
    3. Tem pelo menos 4 traduções de Ciro Mioranza publicadas pela Editora da UNIJUÍ (Ijuí-RS). Listei os títulos daqueles livros que eu encontrei: *System des heutigen römischen rechts ; **De jure belli ac pacis ; ***Des indis et de jure belli relectiones ; ****Le droit des gens ou principes de la loi naturelle apliqués à la conduite et aux affaires des nations et des souverains.
    4. Martin Claret, da editora de mesmo nome, que enfrenta acusações de plágio, nasceu em Ijuí-RS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, lailasan, que coincidência interessante!

      Excluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.