27 de nov de 2011

zaratustra, editora escala II

release da obra na edição "série filosofar", aqui:



página inicial da obra na "coleção grandes obras do pensamento universal", tradução de ciro mioranza:


tirando alguns torneios específicos como "a abelha que acumulasse demasiado mel" e um "olho afável" que podem ser mera coincidência, são visivelmente duas traduções independentes, o que prova uma vez mais a grande questão de qualquer autoria: obras de lavra diferente são necessariamente diferentes.

eu teria me dado por satisfeita, e provavelmente acharia que o release havia sido retirado de outra tradução, por descuido, preguiça ou negligência em relação à questão autoral.

acontece, porém, que fui folheando a edição da escala, tendo ao lado a tradução feita ou revista por josé mendes de souza. começou a aparecer uma quantidade de, digamos, coincidências que pareciam numerosas demais para ser, de fato, meras coincidências. e mais adiante, começaram a aparecer semelhanças e identidades que jamais poderiam ser consideradas coincidências. passo aos exemplos no próximo post.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.