25 de nov de 2011

nietzsche traduzido no brasil IV

após 76 anos do ingresso de nietzsche na bibliografia brasileira, chegamos a 2000. nos onze anos desse novo século, há uma enorme proliferação de traduções e retraduções, muitas de boa e ótima qualidade; muitas outras, porém, medíocres, duvidosas ou francamente espúrias. mantém-se ainda um fluxo incessante de reedições de outros anos.

acompanhe o histórico anterior em:


em 2000, sai crepúsculo dos ídolos (ou como filosofar com o martelo), em tradução de marco antônio casa nova, pela relume dumará, atualmente pertencente ao grupo ediouro:



e também em sua coleção "conexões", volume 8:*


*agradeço a informação e imagem de capa a everton grison

em 2000, a companhia das letras lança humano, demasiado humano: um livro para espíritos livres, na tradução de paulo césar de souza:


ainda em 2000, a martin claret lança suas suspeitas traduções em nome de pietro nassetti, agora:

ecce homo:
o anticristo:

em c.2001, sai além do bem e do mal: prelúdio de uma filosofia do futuro, em tradução de armando amado jr. e coordenação de márcio pugliesi, pela wvc.


em 2001, a landy lança breviário de citações, ou para conhecer nietzsche: fragmentos e aforismos, em seleção, organização e tradução de duda machado:


ainda em 2001, a martin claret lança para além do bem e do mal atribuindo a tradução a "alex marins":


em 2002, a editora da unb lança fragmentos finais, em seleção e tradução de flávio r. kothe:


também em 2002, sai uma edição didática da scipione de para a genealogia da moral, em tradução e adaptação infantil (?) de oswaldo giacóia jr.:


em 2003, sai a tradução de ivo barroso para o prólogo integral de zaratustra, em o "zaratustra" de nietzsche, de pierre héber-suffrin, pela jorge zahar:


em 2003, noéli correia de melo sobrinho lança sua seleção e tradução de escritos sobre educação, pela loyola e puc-rio:

Escritos sobre Educação

também em 2003, a segunda consideração intempestiva: da utilidade e desvantagem da história para a vida sai em tradução de marco antonio casanova, pela relume dumará:


ainda em 2003, ecce homo: de como alguém se torna o que a gente é, em tradução anotada de marcelo backes, sai pela l&pm:


em c.2003 ainda, a planeta deagostini lança a tradução portuguesa de alfredo margarido para assim falava zaratustra. não localizei imagem de capa, mas há um exemplar em nossa biblioteca nacional:


em 2003, martin claret lança a gaia ciência, em suspeita tradução atribuída a um espúrio "jean melville":


em 2004, fragmentos do espólio: julho de 1882 ao inverno de 1883-1884, sai pela edunb em seleção e tradução de flávio r. kothe:


em 2005, a martins fontes lança sabedoria para depois de amanhã, seleção dos fragmentos póstumos por heinz friedrich, em tradução de karina jannini:


ainda em 2005, a martins fontes publica a visão dionisíaca do mundo e outros textos de juventude, em tradução de marcos sinésio pereira fernandes e maria cristina dos santos de souza:


em 2005, noéli correia de melo sobrinho lança sua seleção e tradução de escritos sobre história, pela loyola e puc-rio:


ainda em 2005, a centauro lança a genealogia da moral com tradução pouco confiável em nome de josé ângelo de faria:

A GENEALOGIA DA MORAL

em 2005, a madras lança a origem da tragédia, proveniente do espírito da música, atribuindo a autoria da tradução ao nome de márcio pugliesi. trata-se, porém, de cópia maquiada da tradução de erwin theodor rosenthal (1949, cupolo; veja aqui). a editora admitiu a irregularidade e retirou a obra de catálogo, embora ainda se encontre à venda em algumas livrarias. 



também em 2005, sai uma batelada de nietzsches pela rideel, todos com pretensa tradução atribuída ao nome de heloísa da graça burati (já retirados de circulação pela editora, após admitir a fraude - veja aqui). seguem-se eles:
a gaia ciência: 
ecce homo:
o nascimento da tragédia:
humano, demasiado humano: 
além do bem e do mal: 
assim falou zaratustra:
acerca da verdade e da mentira/ o anticristo:



em 2006, pela zahar sai introdução à tragédia de sófocles, na tradução anotada de ernani chaves:


em 2006, a achiamé publica o anticristo em tradução de robson achiamé:

O Anticristo

também em 2006, a landy lança uma antologia de vários autores, o amor, receitas práticas e sábias, em tradução de renata cordeiro. não sei qual é o texto de nietzsche.


no mesmo ano, aparece pela centauro, em tradução de lilian salles kump, além do bem e do mal:

ALEM DO BEM E DO MAL

em 2007, sai nova edição de anticristo, incluindo agora ditirambos de dionisio, em tradução de paulo césar de souza, pela companhia das letras:


em 2007, noéli correia de melo sobrinho lança sua seleção e tradução de escritos sobre política, em dois volumes, pela loyola e puc-rio:


ainda em 2007, sai a vontade de poder:tentativa de uma transvaloração de todos os valores, na tradução de marcos sinésio pereira fernandes e francisco josé dias de moraes, pela contraponto:


em 2007, a hedra lança sobre verdade e mentira, na tradução de fernando de moraes barros:


ainda em 2007, a centauro lança assim falava zaratustra, com tradução atribuída ao nome de sílvio ferreira leite:


em 2008, pela l&pm, sai além do bem e do mal: prelúdio a uma filosofia do futuro, na tradução anotada de renato zwick:


ainda em 2008, a l&pm lança também o anticristo: maldição contra o cristianismo, na tradução anotada de renato zwick:
Clique para ampliar a capa

em 2008, a hedra lança a filosofia na era trágica dos gregos, na tradução de fernando de moraes barros:

Filosofia na Era Trágica dos  Gregos, A  (Bolso) - Ed. Hedra

ainda em 2008, fragmentos do espólio: primavera de 1884 a outono de 1885, em seleção e tradução de flávio r. kothe, sai pela edunb:


no mesmo ano, a dpl/ golden books lança o crepúsculo dos ídolos, como filosofar com o martelo, em tradução de jacqueline valpassos:


no mesmo ano, a edipro publica além do bem e do mal, em tradução de edson bini:


entre 2005 e 2008, a escala lança em rápida sequência vários outros títulos, que com suas edições anteriores comporão uma "biblioteca nietzsche" em vinte volumes. aqui apresento a coleção já formada, entre parênteses os nomes que constam como autores das respectivas traduções:



Assim Falava Zaratustra (ciro mioranza)
A Genealogia da Moral (antônio carlos braga) 
Crepúsculo dos Ídolos (antônio carlos braga) 
Além do Bem e do Mal (antônio carlos braga) 
Humano, Demasiado Humano (antônio carlos braga) 
A Gaia Ciência (antônio carlos braga) 
O Anticristo (antônio carlos braga) 
Ecce Homo (antônio carlos braga) 
Aurora (antônio carlos braga) 
O Nascimento da Tragédia (antônio carlos braga) 
O Livro do Filósofo (antônio carlos braga) 
O Viajante e sua Sombra (antônio carlos braga e ciro mioranza) 
Miscelânea de Opiniões e Sentenças (antônio carlos braga) 
 O Caso Wagner/ Nietzsche contra Wagner (antônio carlos braga e ciro mioranza) 
Da Utilidade e do Inconveniente da História para a Vida (antônio carlos braga e ciro mioranza) 
Schopenhauer Educador (antônio carlos braga e ciro mioranza)
Filosofia na Época Trágica dos Gregos (antônio carlos braga) 
David Strauss - Sectário e Escritor (antônio carlos braga e ciro mioranza)
Vontade de Potência em 2 vols. (mário d. ferreira santos)

em 2009 sai quarta consideração extemporânea: wagner em bayreuth, em tradução anotada de anna hartmann cavalcante, pela zahar:


em 2009, noéli correia de melo sobrinho lança sua seleção e tradução de escritos sobre direito, pela loyola e puc-rio:

Capa do livro "Escritos sobre Direito"

em 2009, sai o crepúsculo dos ídolos (ou como se filosofa com o martelo) na tradução anotada de renato zwick, pela l&pm:


depois de uma adaptação infantil, não poderia faltar uma edição em quadrinhos: o escolhido foi zaratustra, em assim falava zaratustra: dos céus aos quadrinhos, pela devir. ignoro quem fez a adaptação do texto.


em 2011, sai a filosofia na era trágica dos gregos na tradução de gabriel valladão silva, pela l&pm:


pela leya, sai uma coletânea de citações e pensamentos de nietzsche, em tradução a confirmar (org. paulo neves da silva):

CITAÇOES E PENSAMENTOS DE NIETZSCHE

em 2011, a portuguesa babel (grupo editorial que inclui a guimarães) se instala no brasil e lança um lote de três nietzsches, imagino que aproveitando as traduções da guimarães (a confirmar):


o anticristo: ensaio de uma crítica do cristianismo, pedro delfim pinto dos santos (a confirmar):
O ANTICRISTO: ENSAIO DE UMA CRITICA DO CRISTIANISMO

assim falava zaratustra, a verificar:
ASSIM FALAVA ZARATUSTRA

para além de bem e mal, em tradução de hermann pflüger (a confirmar):
PARA ALEM DE BEM E MAL

em post futuro, esboçarei uma rápida síntese desses onze anos e arriscarei uma avaliação geral de 1934 a 2011.
.

24 comentários:

  1. sobre as traduções da escala, qual é o saldo? ah, e lembrando que essas da escala sairam em um papéis vagabundos e se não me engano elas tem uma proposta escolar mas posso tá errado ...

    ResponderExcluir
  2. olá, jordan: qualquer cotejo demanda um trabalhinho - localizar possíveis fontes, encomendar os livros, recebê-los, cotejar e chegar a alguma conclusão. então, por ora, não tenho ainda nada a dizer sobre nenhuma tradução da escala, além do que já disse em http://naogostodeplagio.blogspot.com/2011/11/editora-escala.html

    é, são didáticos, sim, com "livro do professor" e tudo, para venda aos programas do governo para as escolas: http://naogostodeplagio.blogspot.com/2011/11/pinguepongue.html

    estou aguardando chegar meu exemplar do zaratustra, para ver...

    ResponderExcluir
  3. Anônimo26.11.11

    Cara Denise, muito interessante a genealogia das traduções (infelizmente, nem sempre confiáveis também)da obra de Nietzsche. Aqui na Itália acontece também um fato estranho em relação às traduções dos textos de Nietzsche, elas se reproduzem em muitas editoras, o que nos levar a crer que podem ser muito vulneráveis. Abraço, Davi.

    ResponderExcluir
  4. olá, davi, interessante... podem ser licenciadas de uma editora a outra, talvez, se for com os mesmos créditos de tradução. ou aparecem as mesmas como se fossem feitas por tradutores diferentes?

    ResponderExcluir
  5. Anônimo27.11.11

    dezoito traduções de nietzsche, em tão pouco tempo, todas por um único tradutor? acho isso muito estranho...
    rogério

    ResponderExcluir
  6. olá, rogério: uma (vontade de potência) é bem antiga; devem ter licenciado o direito de uso, imagino... algumas estão em nome de ciro mioranza; a maioria em nome de antonio carlos braga; algumas no nome de ambos. três saíram antes (em 1999, e começo dos anos 2000). mesmo assim, todas as demais em menos de três anos é realmente uma tarefa e tanto!

    ResponderExcluir
  7. o estranho também, rogério, é que antônio carlos braga parece ser sério, com traduções para a zahar e outras editoras íntegras (embora não do alemão). agora, tradução filosófica para valer, do original, com conhecimento de causa do que está se traduzindo, acho pesado. o complicado mesmo, que estou achando, é esse zaratustra em nome de ciro mioranza.

    ResponderExcluir
  8. Anônimo28.11.11

    Denise,

    vou dar uma conferida, vi que alguns livros tiveram tradutores diferentes para a mesma obra, agora é bom dar uma olhada se não se trata também do mesmíssimo texto.
    abraço.davi

    ResponderExcluir
  9. isso, davi - o mais louco é que algumas dessas apropriações ainda por cima vêm estropiadas, na tentativa de disfarçar a cópia...

    ResponderExcluir
  10. prezado anônimo: não liberei seu comentário, porque denúncia, para começar, tem que ser um pouco mais fundamentada (p.ex., há casos muito parecidos com o que vc comentou, mas que foram devidamente licenciados pela editora original - teria q consultar a editora local para saber se houve tal licenciamento antes de poder dizer qq coisa); depois, a questão de responsabilidade civil e criminal por comentário anônimo recai sempre sobre o proprietário do blog; como não me sinto confortável para assumir essa responsabilidade neste caso específico, optei por não publicar seu comentário. mas tomei conhecimento do teor e ficarei atenta ao problema. agradeço a compreensão.

    ResponderExcluir
  11. Excelente postagens sobre as traduções de Nietzsche. Muito boa a reunião de informações. Se alguém puder me auxiliar, tenho algumas dúvidas:

    Não sou filosofo de formação acadêmica mas tenho por hobbie a literatura filosófica. Atualmente adquiri algumas obras de Nietzsche da Cia das Letras, na tradução de Paulo César de Souza. É realmente uma das traduções mais aprimoradas?

    Procuro também informações sobre as traduções nas edições da editora Escala, sobre a qualidade, e se realmente tem essa inclinação didática. Pois apresentam uma coletânea a preço bastante acessível.

    Sobre as obras de Nietzsche publicadas pela Rideel saberia me informar os originais dos quais se basearam?

    ResponderExcluir
  12. prezado nilson, siga os links dados no post, que vc terá as informações solicitadas.

    ResponderExcluir
  13. Muito obrigado! Não tinha notado alguns links inseridos no texto.

    Parabéns pelo blog! Seu trabalho é excelente.

    ResponderExcluir
  14. Ola Denise, sempre profunda em sua pesquisa. Indico a todos quando me perguntam sobre tradução seu blog. Não sei se não vi, mas senti falta da tradução do Assim falou Zaratustra que foi feita por Mario da Silva e foi publicada sabe lá que ano (acredito que finais de 80 inicio dos 90) pela Circulo do livro (tenho o livro em casa e não tem o ano da publicação). Esta mesma tradução já faz um tempo e hoje em dia está sendo publicada pela Civilização Brasileira...

    ResponderExcluir
  15. olá, everton, tem toda razão, passei batido pelo mário da silva! já complementei em nietzsche II. muito obrigada!

    ResponderExcluir
  16. Olá, Gostaria de ler O nascimento da tragédia. Você poderia sugerir uma tradução/edição?

    ResponderExcluir
  17. Anônimo10.11.14

    olá Bottmann,esta sequencia de obra, acima,seriam as recomendáveis? obrigado.

    ResponderExcluir
  18. olá, anônimo - não necessariamente. a ordem é apenas cronológica.

    ResponderExcluir
  19. Comparando duas traduções de "Para Além do Bem e do Mal" vim parar no seu blog. Sua pesquisa foi muito útil para mim. Na minha opinião, os trechos que eu li em ambas são consideravelmente mais obscuros na tradução da Vozes de Bolso.

    Obrigado.

    Link ebook Vozes de Bolso:
    http://books.google.com.br/books?id=JNkbBAAAQBAJ&printsec=frontcover&hl=pt-BR#v=onepage&q&f=false

    Link do livro da Martin Claret no submarino:
    http://www.submarino.com.br/produto/207110/para-alem-do-bem-e-do-mal

    ResponderExcluir
  20. pela martin claret, "alex marins", que consta como tradutor, não existe e a editora costuma usar esse nome apenas para encobrir a apropriação de traduções alheias, às vezes com adulterações no texto. mário ferreira dos santos pelo menos existia (mas não sei se traduziu direto do alemão, como consta nos créditos) - de todo modo, é uma tradução bastante antiga.

    ResponderExcluir
  21. bottmann, estou a procura dos fragmentos póstumos de nietzsche... tenho notícias de um material da editora forense universitária sobre o nome de 'fragmentos póstumos' seguido dos anos dos manuscritos... vc tem referências sobre estes volumes?

    ResponderExcluir
  22. opa, obrigada. meu levantamento foi até 2011, e a forense lançou esses volumes em 2012, não? na internet há várias referências mesmo.

    ResponderExcluir
  23. Anônimo15.7.15

    Denise, desculpa se for uma pergunta repetitiva (provavelmente é, mas não encontrei uma indicação aqui nos comentários), mas por favor, eu gostaria de saber se as traduções de Nietzsche feitas pela L&PM são boas. Eu ouvi dizer que a tradução da Cia das Letras era a melhor, mas gostaria de saber da L&PM também. Ah, e já aproveitando (pra não ter que ir no post do Sartre pra perguntar a mesma coisa), eu queria saber se as traduções da L&PM do Sartre são boas também, ou se recomendas outra(s). Obrigada!

    ResponderExcluir
  24. olá,prezado anônimo, sim, são todas excelentes (e as da cia das letras tb).

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.