8 de ago de 2011

virginia woolf traduzida no brasil

.
até onde sei, a primeira tradução de virginia woolf no brasil foi o conto "objetos sólidos", em tradução de dias da costa, na coleção "contos do mundo", os ingleses: antigos e modernos, antologia organizada por rubem braga e publicada em 1944 pela editora leitura.* reed. pela ediouro em 2004, com o título de contos ingleses: os clássicos.

"Objetos sólidos",
Dias da Costa, Leitura, 1944
Devo a imagem de capa à enorme gentileza de Saulo von Randow Jr.

a seguir, sai o primeiro romance de woolf no brasil, em tradução de mário quintana, mrs. dalloway (aliás, a única até 2012). 

Mrs. Dalloway,
Mário Quintana, Globo, 1946 

a partir daí, seguem-se:

Orlando,
Cecília Meireles, Globo, 1948

“Três quadros” e “O legado”, in Contos e novelas de língua estrangeira,
Yolanda L. dos Santos e Nádia Santos, Logos, 1955


"Lapine-Lapinova", in Maravilhas do conto amoroso,
sem créditos de tradução, Cultrix, 1959

O farol,
Luiza Lobo, Gráfica Record, 1968

“Beau Brummel”, in Livro de cabeceira da mulher ano II, vol. 8,
anônimo, Civilização Brasileira, 1968

Passeio ao farol,
Oscar Mendes, Labor do Brasil, 1976

Noite e dia,
Raul de Sá Barbosa, Nova Fronteira, 1979

As ondas,
Lya Luft, Nova Fronteira, 1980

O quarto de Jacob,
Lya Luft, Nova Fronteira, 1980

Entre os atos,
Lya Luft, Nova Fronteira, 1981

Os anos,
Raul de Sá Barbosa, Nova Fronteira, 1982

A cortina da tia Bá,
Ruth Rocha, Ática, 1983

Uma casa assombrada,
José Antônio Arantes, Nova Fronteira, 1984

Momentos de vida,
Paula Maria Rosas, Nova Fronteira, 1985

Um teto todo seu,
Vera Ribeiro, Nova Fronteira, 1985

Os diários de Virginia Woolf,
José Antônio Arantes, Companhia das Letras, 1989

Objetos sólidos,
Hélio Pólvora, Siciliano, 1992

A viagem,
Lya Luft, Siciliano, 1993


Orlando,
Laura Alves, Ediouro, 1994

Kew Gardens e outros textos,
 Patricia de Freitas Camargo e José Arlindo de Castro, Paz e Terra, 1996 

A casa de Carlyle e outros esboços,
Carlos Tadeu Galvão, Nova Fronteira, 2003

Flush - memórias de um cão,
Ana Ban, L&PM, 2003

“O legado”, in A selva do amor,
Roberto Muggiati [?], Record, 2003


"Segunda ou terça-feira", in Bestiário, ano 1, n. 1,
Roberto Schmitt-Prym, 2004

Contos completos,
Leonardo Fróes, Cosac Naify, 2005

"Azul & verde", in Bestiário, ano 2, n. 12,
Leonardo Vieira de Almeida, 2005,

"Uma casa assombrada", in Bestiário, ano 2, 18,
Leonardo Vieira de Almeida, 2005

Cenas londrinas,
Myriam Campelo, José Olympio, 2006

O leitor comum,
Luciana Viégas, Graphia, 2007

LEITURAS DE ESCRITOR
Leituras de escritor: Luiz Ruffato
(não sei o conto nem o tradutor), SM, 2008

LEITURAS DE ESCRITOR
Leituras de escritor: Ana Maria Machado
(não sei o conto nem o tradutor), SM, 2008


Mrs. Dalloway,
Tomaz Tadeu, Autêntica, 2012
(Diário de Mrs. Dalloway, é uma agenda como brinde de acompanhamento)
.

Mrs. Dalloway,
Claudio Marcondes, Cosac Naify, 2012


"Uma introdução a Mrs. Dalloway, in Traduzindo Mrs. Dalloway,
aqui, Denise Bottmann, 2012


Profissões para mulheres e outros artigos feministas,
Denise Bottmann, L&PM, 2012

Mrs. Dalloway,
Denise Bottmann, L&PM, 2013

O tempo passa (vários autores),
Tomaz Tadeu, Autêntica, 2013

Ao farol,
Tomaz Tadeu, Autêntica, 2013

Ao farol - To the Lighthouse,
Doris Goettems, Landmark, 2013

Ao farol,
Denise Bottmann, L&PM, 2013


* agradeço o toque de enzo potel sobre "objetos sólidos", aparentemente o primeiro escrito de woolf a sair entre nós.





atualização em 27/01/2013:
vale a pena registrar que a revista joaquim, em seu número 13, setembro de 1947,  publicou "a sobrinha do conde"














atualização em 13/6/2015:
orlando,
jorio dauster, 2014

um teto todo seu,
bia nunes de souza, 2014

o valor do riso e outros ensaios,
leonardo fróes, 2014

o sol e o peixe, prosas poéticas
tomaz tadeu, 2015


19 comentários:

  1. que incrível acompanhar essa trajetória!

    ResponderExcluir
  2. legal sim, né? também achei :-)
    abraço
    denise

    ResponderExcluir
  3. As traduções da Lya Luft foram republicadas recentemente pela editora Novo Século.

    ResponderExcluir
  4. olá, carlos - yep, eu vi, e vêm também numa bela caixa com todas juntas! (em todo caso, aqui não menciono, pois são apenas as primeiras edições).

    obg!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Denise! Tá faltando a sua tradução de "Profissões para mulheres e outros artigos feministas", não?

    ResponderExcluir
  6. obrigada, willamy, tinha esquecido de atualizar!

    ResponderExcluir
  7. Cara Denise,

    adquiri "O quarto de Jacob" traduzido pela Lya e edição da Novo Século, porém me decepcionei tanto que desisti da leitura. Como foi a minha primeira tentativa de conhecer a obra de V. Woolf, me perguntei se não gostei por causa do estilo da autora ou pela qualidade de ruim de tradução/edição/revisão. Eu, que sou leiga no assunto, presumi que tenha sido por causa da tradução. Não sei, em alguns momentos tudo parecia ir bem, mas palavra ou outra não encaixava direito, as coisas ficavam um pouco sem sentido. O que você me diz? A Lya está na sua lista de recomendáveis? Tenho cogitado adquirir algo das editoras L&PM ou Cosac, para tirar a prova.

    Um abraço e meus parabéns pelo seu blog, estive visitando em busca de indicações para tradução de Victor Hugo (Os Miseráveis).

    ResponderExcluir
  8. é, não é fácil, criticultura... a VW tem um estilo muito próprio, embora o quarto de jacob ainda não faça parte de sua obra mais experimental e "modernista". não costumo recomendar ou desrecomendar colegas de ofício - apenas desrecomendo vivamente fraudes ou casos mais cabeludos, como algumas edições da altabooks ou as pretensas traduções de milton lins galardoado pela ABL como melhor tradutor literário do brasil em 2010!

    obrigada :-)
    denise

    ResponderExcluir
  9. Dureza mesmo é descobrir que "Os Miseráveis" custa 119 reais pela Cosac. Na LPM só tem versão quadrinhos... A outra opção é a Martin, mas eu acho que não vou arriscar... Procurei em todos os lugares, não tem Ediouro, não tem em lugar algum, só cosac e martin. CÉÉÉUS!!!! Estou sem dinheiro hahahahahah

    Percebi que você não faz críticas aos seus colegas de profissão, mas só depois de ler outras postagens. Muito ético da sua parte.

    Abraço e obriga pela resposta!!!

    ResponderExcluir
  10. .... vixe .... da ediouro de 1968 vc encontra a 30,00 os dois volumes na estante virtual

    ResponderExcluir
  11. Pois é, Denise... antes de me aventurar nas obras dela, fiz uma busca bio e bibliografica.. Aí eu vi que realmente, O quarto de Jacob foi sua primeira publicação, antes de possuir sua própria editora e assumir, de vez, seu estilo. Eu até que fui bem na leitura até a pagina 100 e pouco, mas depois o troço desandou, acho que perdi o fio da meada, SEI LÁ!

    Já que você não desabona especificamente os colegas de profissão (o que é muito ético da sua parte), o que você me diz da coleção Saraiva de bolso? As traduções são de pessoas reais?rsrsrs Vi que há Orlando entre seus títulos e ouvi dizer que é um dos livros mais legais da Virginia.

    Dureza mesmo é descobrir que "Os Miseráveis" custa 119 reais pela Cosac. Na LPM só tem versão quadrinhos... A outra opção é a Martin, mas eu acho que não vou arriscar... Procurei em todos os lugares, não tem Ediouro, não tem em lugar algum, só cosac e martin. CÉÉÉUS!!!! (pindaíba)


    obriga pela resposta!
    Até mais!

    ResponderExcluir
  12. a coleção saraiva de bolso é toda ela composta de licenciamento de traduções publicadas em outras editoras - isso é ótimo.
    orlando é bem gracinha - ela escreveu no interlúdio entre to the lighthouse e the waves, na época de sua grande paixão e affair com vita sackville-west, a orlando do título da obra. a tradução de cecília meirelles é célebre. li já faz décadas e lembro que era divertido, embora não seja tido como uma de suas grandes obras. acho que vale a pena, claro.

    ResponderExcluir
  13. Anônimo12.9.14

    Bom dia, Denise.

    Nunca li Virginia Woolf, mas estou curiosa sobre ela há anos; e, como tenho feito ultimamente, venho pesquisar sobre a qualidade e legitimidade das traduções aqui no teu site, antes de partir às compras. Vi no Skoob ( http://www.skoob.com.br/livro/edicoes/3777 ) que há pelo menos três traduções diferentes para "Um Teto Todo Seu", e gostaria da tua opinião sobre qual a melhor delas.

    Desde já, agradeço tua atenção.
    Um abraço!

    Carolina Pegorini.

    ResponderExcluir
  14. olá, carolina: a da vega é portuguesa. não conheço essa mais recente da tordesilhas (aliás, preciso atualizar esse post!). a vera ribeiro é uma tradutora muito séria e respeitada, mas a tordesilhas também anda caprichando bastante em suas edições. então não sei dizer.... provavelmente as duas são boas.

    abraço,
    denise

    ResponderExcluir
  15. Minha tradução Passeio ao farol saiu pela Nova Fronteira, pela Ediouro e depois venderam pelo círculo do Livro... Luiza Lobo.

    ResponderExcluir
  16. Anônimo12.10.15

    Olá Denise.

    Estou em dúvida se compro ou ñ o box de romances traduzido por Lia Luft.Alguns amigos falam mal da tradução dela.O que achas?

    ResponderExcluir
  17. Olá, Denise, gosto muito de sua tradução de To the lighthouse, mas ela possui uma diferença em relação a outras traduções para o português e mesmo de outras edições em língua inglesa, o fato de a última parte (capítulo), "O farol", conter 14 capítulos... Procurei pesquisar e não sei se é o fato, a primeira edição americana continua 14 capítulos e depois foi corrigido para 13... é isso mesmo? Desde já agradeço a atenção. Leonardo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, leonardo, obrigada. sim, de fato a edição britânica tem 14 capítulos e a americana 13 (por razões de paginação na época). veja onde se dá a divisão da britânica que não foi seguida na americana: http://www.woolfonline.com/?node=content%2Ftext%2Ftranscriptions&project=1&parent=2&taxa=20&content=3441&pos=321 (inglesa) e http://www.woolfonline.com/?node=content%2Ftext%2Ftranscriptions&project=1&parent=2&taxa=19&content=3111&pos=309 (americana)

      abraço,
      denise

      Excluir
    2. Muito obrigado pelo esclarecimento, Denise.
      Abraço

      Excluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.