8 de ago de 2011

hawthorne no brasil II



dando continuidade a hawthorne no brasil I:

acho engraçado que tanto se mencionem as resenhas de edgar allan poe sobre as twice-told tales de hawthorne, que até tenha se publicado uma tradução do texto de poe, com o título "nathaniel hawthorne", no volume ensaístas americanos, mas não se conheça a maioria desses contos dele em português.

sei lá, parece tudo meio fragmentário e desconexo, cheio de lacunas. existem algumas antologias que trazem algum conto de hawthorne, mas que não tive muito tempo de procurar. por exemplo: 
  • a coletânea de jacob penteado, dos anos 50 (primores do conto universal, vol. 3, contos norte-americanos, edigraf);
  • a de flávio moreira da costa, de 2005 (os melhores contos que a história escreveu, pela nova fronteira); 
  • outra de flávio moreira da costa, os melhores contos de medo, horror e morte, de 2005, que traz "o experimento do dr. heidegger", mas não sei se é a mesma tradução de olívia krähenbühl de 1964; 
  • a de alberto manguel, de 2007, com "a marca de nascença" (contos de amor do século XIX), idem. 
é uma canseira isso de não botarem o conteúdo das antologias e muito menos os nomes dos tradutores nos sites, releases e registros de obra. a gente tem de ir atrás de um em um, e muitas vezes precisa comprar o exemplar para checar ao vivo.

como o pobre hawthorne está esfrangalhado em português, pouco me anima essa trabalheira. o que dá para ver, pelo que levantei, é que tem muito do mesmo: o conto do dr. heidegger tem umas três traduções, a letra escarlate, seis; as adaptações dos mitos gregos também foram picotadas, desmembradas e readaptadas (principalmente por orígines lessa), uma ou outra recebendo duas ou três traduções, totalmente fora de contexto. quanto aos romances, empacamos nos três de sempre. quanto aos contos, vejam-se os onze selecionados por olívia que citei no post anterior, somem-se os avulsos que arrolei, considere-se na melhor das hipóteses que os dois contos não identificados acima fossem inéditos aqui no brasil: mal chegamos a duas dúzias! 

só os dois volumes de twice-told tales somam bem mais que isso. 


veja aqui. abaixo, seguem os contos linkados, todos disponíveis online.
não que pessoalmente eu goste muito de hawthorne, mas, por sua importância literária, mereceríamos ter edições mais sistemáticas e coerentes de sua obra, como a globo fez com edgar allan poe nos anos 1940, graças ao trabalho hercúleo de oscar mendes e sobretudo de milton amado. 

quanto a hawthorne, começa que seus romances (três deles) demoraram quase cem anos para chegar ao brasil. outras obras, faz uns 170/ 180 anos que foram escritas e não deram sinal de vida por aqui. já entre o material que chegou, não deixa de ser curioso que um mesmo conto, ainda o "dr. heidegger", tenha sido inicialmente publicado numa coletânea de histórias cômicas e burlescas, e sessenta anos depois integre uma coletânea de histórias de medo e horror. e por aí vai...

atualização - publiquei dois artigos sobre hawthorne:
1. o primeiro se chama "nathaniel hawthorne no brasil", com o levantamento das traduções brasileiras de sua obra, de 1942 a 2012. saiu na revista belas infiéis, unb, disponível aqui.
2. o segundo se chama "o quinteto da renascença americana no brasil", abordando a bibliografia traduzida de melville, emerson, thoreau, hawthorne e whitman. saiu na revista cadernos de tradução da ufsc, disponível aqui.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.