11 de ago de 2011

alice no país das maravilhas, a sanha


Transcrevo o post de Jorge Furtado em seu blog, aqui, que ilustrei com as respectivas capas citadas no texto. 


Jorge Furtado

Encontrei numa livraria do aeroporto de Brasília uma edição miniatura (6 x 5 x 2 cm) de “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll.

Sou um grande admirador da obra de Carroll. Coleciono edições do livro, conheço razoavelmente bem o original e 18 traduções do texto integral em português. Já adaptei o livro para o teatro e o traduzi, em parceria com Liziane Kugland, em três anos de trabalho. Nossa tradução (ISBN 978-85-7302-865-2) foi publicada pela Editora Objetiva em 2008, com ilustrações de Mariana Newland. (http://www.objetiva.com.br/livro_ficha.php?id=49)



A edição que encontrei em Brasília, (colorida, 400 páginas, capa dura, ilustrada, impressa em papel couché, com marcador de página, texto integral) foi feita por “Los libros mas pequenos del mundo” EIRL (endereço: Jr. Los Pelitres 1784, Urb. San Hilarion, Lima 36, Peru), para CIEX (Cautivo Importação e Exportação), o distribuidor exclusivo do livro no Brasil. A tiragem declarada é de 2000 exemplares. As ilustrações são de Franco Martinez Luis e outros, o livro tem como editor responsável Pedro Alberto Briceño Polo. A primeira edição é de agosto de 2010, foi impressa no Peru. 




A edição informa que foi feito o Depósito Legal na Biblioteca Nacional do Peru, sob o número 2010-07883. Os direitos são reservados e o número do ISBN é 978-612-4013-83-6. (Tal número não existe, basta consultar o site da Biblioteca Nacional (http://www.isbn.bn.br/pesquisa-no-cadastro-isbn), todos os registros de 13 dígitos começam com 978-85.)

Paguei 26 reais, fui ver se conhecia a tradução. Conhecia, é claro. É a nossa, palavra por palavra. Não se trata, portanto, de plágio e sim de apropriação indébita, um caso de roubo puro e simples.

Nunca fomos consultados sobre esta edição, o meu nome e o de Liziane Kugland não são citados, não há qualquer menção ao tradutor.

Consultei a editora Objetiva, não foi dada qualquer autorização para esta edição.

A editora peruana Minibooks tem um site: http://www.minibooks.com.pe/

A distribuidora exclusiva no Brasil também tem um site: http://www.osmenoreslivrosdomundo.com.br/

A edição de Alice está na página de abertura, é a primeira entre os 5 livros mais procurados:


No site não tem o preço. Telefonei para a “Menores Livros” (011.24270605), uma moça gentil me informou que “pode estar me passando o preço por e-mail”, acabou me dizendo que custa R$ 23,50, entregue em casa: “estamos com uma promoção de frete grátis em todo o Brasil”.

No site da CIEX há um texto que informa que a distribuidora “nasceu em 2008 com o objetivo de levar ao Brasil inteiro os Mini Livros Peruanos”. Entre os “Valores” declarados da empresa estão a “Responsabilidade” (“com as pessoas e o meio ambiente”) e a “Justiça” (“dar o correto valor a cada coisa e a cada pessoa”). Talvez eles respeitem o meio ambiente.

Os autores da tradução e a editora irão buscar na justiça o ressarcimento dos seus direitos.

Jorge Furtado, Porto Alegre, 10 de agosto de 2011


obs.: na verdade, o número de isbn mencionado por jorge existe, e está cadastrado na agência do isbn da biblioteca nacional do peru: aqui. é que o código do brasil é 85, enquanto o 612 é do peru. por isso não consta em nosso isbn, e sim na agência do país onde o livro foi publicado.
.

6 comentários:

  1. Mais um absurdo do mercado editorial, se a palavra mercado já não fosse suficiente para explicar muita coisa. Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Pouca-vergonha. Espero que renda um belíssimo processo judicial.

    ResponderExcluir
  3. Caramba! Estive com um desses nas mãos agora em Salvador, quando me encontrava em viagem lá, participando de congresso. Acho que foi na livraria Cultura (no shopping Salvador). Quase comprei. Custava 23 reais. Agora que sei disso, fico feliz por não haver trazido pra casa a tal miniatura.

    ResponderExcluir
  4. sorte sua, tania, ia estar enricando mais um malandro...

    eu também estou torcendo, deize!

    absurdo sim, né mariana?

    ResponderExcluir
  5. Alô Denise

    Obrigado, já atualizei no meu blog.

    Acabo de aprender algo sobre catalogação, viu só? Roubo também é cultura.

    Melhor assim. Parece que a malfeitoria está documentada. Aqui, a ficha do roubo no Peru:

    Isbn: 978-612-4013-83-6
    Título: Alice no pais das maravilhas
    Autor: Carroll, Lewis
    Editorial: Los Libros más Pequeños del Mundo E.I.R.L
    Materia: Literatura infantil
    Publicado: 2010-07-30
    NºEdición: 1
    Idioma: Portugués

    ResponderExcluir
  6. Anônimo14.8.15

    Além do plágio, certos canais de TV, alguns diretores de cinema e televisão vão lá copiam a obra de autores famosos, acrescentam mais uma personagem, produz longa-metragem para o cinema, mini séries para a TV e ainda tem a cara de pau de dizer que o filme e a série foi inspirado na obra de Jorge Amado, Machado de Assis e Shakespeare. Esse é o cúmulo do oportunismo, depois vem falar de ética.

    Luis

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.