28 de jun de 2011

sim, não, muito pelo contrário

aliás, nessa história de tradução que troca negativa por afirmativa ou viceversa e outros erros de entendimento, além do caso do brenno em o grande gatsby que mencionei no último post, há um caso divertido em que tanto oscar mendes quanto josé paulo paes trocam as bolas: o gato preto, de edgar allan poe. o narrador está falando de sua esposa e diz a certa altura: my wife, who at heart was not a little tinctured with superstition... [not a little: não pouco, muito, bastante].


oscar mendes se saiu com "minha mulher, que no íntimo não tinha nem um pouco de superstição", e josé paulo paes com "minha mulher, que no íntimo não era nem um pouco supersticiosa". nessa brenno silveira não caiu e deu corretamente como "minha mulher, que, no íntimo de seu coração, era um tanto supersticiosa".

em walden, fiz uma bobagem dessas em in a new country, fuel is an encumbrance: dei como "num país novo, combustível é um problema" (p. 71).

tal como nos outros casos, minha gafe também não engatava no contexto - pois thoreau está justamente dizendo que não é preciso se preocupar com o aquecimento das casas. foi só relendo o livro depois de impresso é que me veio num raio: pois claro, denise, que marcada! num país novo, com suas matas, a madeira - para se fazer lenha - é tanta que chega a atravancar! (numa eventual reedição, vou pedir que corrijam para algo como "num país novo, lenha é o que não falta" ou "lenha dá e sobra".)


em suma, às vezes a gente dá uns escorregões...

imagens: google images
.

3 comentários:

  1. Cara Denise:
    Vc. pode sugerir ao editor que imprima uma errata e encarte nos exemplares ainda em depósito.
    E ficamos todos, desde já, mais fãs de sua integridade profissional.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. olá, henrique: vai ter vários - o do prego, esse da lenha e mais alguns que não lembro agora de cabeça. talvez seja boa ideia a errata - se a lpm topar, seria ótimo mesmo!

    obg pela gentileza:-)

    ResponderExcluir
  3. Falando da gafe do Brenno Silveira: eu pensei que Brenno tinha acertado e Fernanda errado... acho que errei também!

    Esses erros também me lembram um verso do Soneto nº 10 de Shakespeare (That 'gainst thy self thou stick'st not to conspire), onde 3 de 8 tradutores erraram, incluindo a versão da Thereza Christina (conhecida virtualmente como tradução Tira-Teima), que verte o seguinte verso como "Que apenas contra ti mesma não conspiras", enquanto é justamente o contrário (que não exita tramar contra o próprio ser).

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.