15 de fev de 2011

poe XXXIV, uma surpresa

em minha pesquisa sobre a presença de edgar allan poe no brasil, eu tinha concluído que a primeira tradução de the black cat publicada entre nós era a do português januário leite, que saiu pela annuario do brasil em 1926.

hoje foi uma agradabilíssima surpresa saber que já em 1920 oswaldo goeldi ilustrara uma tradução d'o gato preto, que foi publicada na revista leitura para todos.

em coedição com a fapesp, a cosac naify lançou um estudo de priscila rossinetti rufinoni, chamado oswaldo goeldi: iluminação, ilustração. aqui o link para o googlebooks, onde se pode ler o capítulo da autora sobre "o gato preto: ilustrações de leitura para todos".


essas ilustrações de goeldi, aliás, foram retomadas e reproduzidas em o gato preto, na tradução de bernardo carvalho publicada em 2004 também pela cosac naify.


fiquei curiosíssima em saber de quem é a tradução que saiu em 1920 na leitura para todos. seria, ela sim, a primeira em língua portuguesa a aparecer no brasil.

veja também:
.

5 comentários:

  1. Olá Denise,
    Também fico surpresa, não havia pensado que esta poderia ser uma das primeiras traduções de O gato preto. Consultei as fotos que tenho das páginas da revista, mas não há indicação de tradutor. Apenas a menção ao autor: “por Edgard Poe”.
    Seria, talvez, alguém ligado às revistas Para todos, como Álvaro Moreyra?
    Priscila Rufinoni

    ResponderExcluir
  2. olá, priscila: pois não é incrível essa história? adorei seu estudo, parabéns, é magnífico (li o que está disponível no google books; liberaram até bastante coisa).
    pois veja, antes de conhecer seu estudo apontando a existência desse conto, eu tinha concluído que a primeira tradução efetivamente brasileira seria de milton amado com oscar mendes, publicada em 1944. a que saiu em 1926 é portuguesa (januário leite, de cabo verde, então colônia portuguesa, quando adulto se estabeleceu na metrópole).
    e mesmo em termos de bibliografia mais geral, a única tradução anterior do gato preto(também portuguesa) era feita a partir do francês, nos anos 1880.
    então, essa tradução de 1920 na revista Para Todos seria um marco no mundo lusófono, se tiver sido feita do inglês.
    que pena que não consta o nome do tradutor... nesse número da revista, por acaso há uma relação dos colaboradores? você sabe dizer onde está conservado esse número?
    álvaro moreyra pode ser uma hipótese plausível, de fato!

    obrigada
    denise

    ResponderExcluir
  3. Oi, Denise,
    eu tenho uma edição da Garnier das "Novelas Extraordinárias",mas não a estou encontrando. De todo modo, ela é do começo do século XX ou final do XIX. É daquelas edições cinza, de capa dura. Quando eu a encontrar, te envio informações mais precisas.
    abraço
    Eugênio

    ResponderExcluir
  4. que legal, eugenio, agradeço!

    ResponderExcluir
  5. essa edição da h. garnier (c. 1903), eugênio, embora traga na página de rosto que é "traducção brasileira", não passa de cópia fiel da tradução portuguesa de mécia mouzinho de albuquerque, que saiu em 1889 pela nacional de lisboa.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.