16 de dez de 2010

lendo walden, XI

.
Nas páginas finais de Walden (pp. 303-4), Thoreau investe contra o que lhe parecia ser uma futilidade, viajar:
Qual era o significado daquela Expedição de Exploração dos Mares do Sul, com toda a sua pompa e ostentação, senão um reconhecimento indireto do fato de que existem oceanos e continentes ainda inexplorados no mundo moral, onde cada homem é um istmo ou um braço de mar, mas que é mais fácil singrar milhares e milhares de quilômetros por entre o frio, as tempestades e os canibais, num navio do governo, com quinhentos homens e rapazes para auxiliar um único indivíduo, do que explorar o mar privado, o Oceano Atlântico e Pacífico de apenas um ser?


Que errem e escrutem os distantes australianos.
Eu tenho mais de Deus, eles mais da estrada.

Não vale a pena dar a volta ao mundo para contar os gatos em Zanzibar.


Sobre essa frase encantadoramente inesperada, fecho de ouro de sua peroração: Harding informa tratar-se de referência ao livro de Charles Pickering, The Races of Man, publicado em Londres em 1851 e que Thoreau lera em 1853, conforme anotou em seu diário. Pickering narrava sua viagem ao redor do mundo, e falava dos felinos que vira na ilha de Zanzibar (costa da Tanzânia).

imagem: cat in zanzibar
.

Um comentário:

  1. Esse post me fez recordar a famosa frase "I have traveled a great deal in Concord".

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.