2 de dez de 2009

seleção de obras

A Biblioteca Nacional informa às editoras que foi formada uma Comissão de Especialistas para a seleção de livros que poderão ser adquiridos pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, dentro das ações do Programas Livro Aberto, da competência da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), com recursos provindos do Programa Mais Cultura, ambos os Programas do Ministério da Cultura.

 Editoras, Distribuidoras e Livrarias que estiverem interessadas em fornecer catálogos e/ou mesmo publicações para análise, podem entrar em contato diretamente com o SNBP (snbp@bn.br ) e/ou com os especialistas, escolhidos por edital de credenciamento, que estarão responsáveis pela seleção do acervo, cuja listagem subsidiará a licitação para aquisições em 2010.

vi esta notícia no publishnews de hoje. ótimo que haja uma comissão, ótimo que venham recursos do minc para o programa mais cultura, ótimo tudo. mas tomara que os membros da comissão lembrem que há várias coisas podres no reino editorial de pindorama.

a bn é nossa, os programas são nossos, os beneficiados pelos programas somos nós: da sociedade vai e para a sociedade volta - como cidadã, quero coisa boa. por isso, e para colaborar com os programas, enviei uma cartinha ao SNBP e aos integrantes da comissão pedindo atenção redobrada a títulos publicados por editoras que praticam plágios de tradução.

atualização em 04/12/2009: fico feliz que alguns integrantes da comissão da seleção já me responderam, dizendo que estão atentos ao problema.

3 comentários:

  1. O Presidente da BN ainda é o Muniz Sodré? Aquele mesmo que escreveu um livrinho chamado "A comunicação do grotesco"? Um trechinho do prefácio do autor:

    "Hoje, porém, quando são evidentes o abalo dos sistemas tradicionais de política e de comunicação e o progresso dos 'media' eletrônicos, a cultura nacional permanece presa a padrões imobilistas [...] É dentro de uma perspectiva de alienação de crise que enxergamos a cultura de massa brasileira."

    (Quem diria que eu ainda abriria este livro, hein?)

    ResponderExcluir
  2. quaquaquaquaquá! na verdade, letícia, tenho o maior respeito pelos cargos (uma visão muito republicana: como tudo isso é nosso, "res publica", dou o maior valor por ser da coletividade - mas quando a gente vê a tal "res publica" no concreto é de chorar... deixarei de ser re(s)publicana e virarei monarquista, como t.s.eliot e paulo francis ;-)

    ResponderExcluir
  3. Eu tumém, Denise, respeito à beça os cargos porque, como você, entendo que são nossos. Já sobre quem os ocupa, minha opinião é variável...

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.