15 de dez de 2009

comunicado

transcrevo abaixo o comunicado do diretor jurídico da editora madras, publicado em comentário a solicitação:

MADRAS EDITORA LTDA, vem pleitear seu direito de ampla defesa, pois vem sendo acusada de fatos inverídicos. Ao longo de sua história empresarial, a Madras Editora nunca sofreu qualquer acusação de violação a direitos autorais, ou mesmo, em questões atinentes a tradução.

No caso, em tela, as três obras já citadas, foram editadas, em quanto a Sra. Caroline Furukawa era EDITORA ASSISTENTE. Neste caro, era Caroline Furukuwa a responsável pela aquisição de obras estrangeiras, bem como, por todo processo de tradução. Inclusive, ela mesmo assinou algumas obras, pois se auto intitulava a tradutora das obras, como ocorre nestes casos. MADRAS EDITORA LTDA, de fato, recebeu uma notificação das advogadas de Caroline, o que foi contra-notificado, prontamente.

A MADRAS EDITORA LTDA, editou as três obras Origem das Espécies, Seleções de Flavius Josephus e Cabana do Pai Tomás, porem, desconhece qualquer plágio. Caroline Furukawa pleitou a tradução, tanto é,m que lhe foi dado os devidos créditos no copyright das obras. A época, caroline Furukawa exigiu que seu nome saisse como tradutora, pois alegava ser sua as respectivas traduções. A MADRAS EDITORA não tem qualquer responsabilidade sob estas traduções. Tanto é, que Caroline Furukawa não reclamou anteriormente ao BLOG, só questiona a autoria da tradução depois da denúncia, até então, estas obras constavam em seu curriculum profissional.

Importante frisar que, esta sob a responsabilidade da Sra. Caroline Furukawa, toda as questões atinentes a tradução, como Editora Assistente.

A MADRAS EDITORA LTDA já está tomando uma série de providências, para averiguar a denúncia de plágio, seja no sentido reter a circulação das obras em questão, seja num sindincância administrativa para apurar responsabilidades.

Destarte, a MADRAS EDITORA LTDA já tomou as seguintes providências:

a)Excluiu-se a divulgação em nosso site oficial, as referidas obras;

b)Esta promovendo a solicitação e retirada das obras de todo mercado livreiro, ressaltando que as obras, se encontram em circulação por todo país, o que pode vir demandar certo lapso temporal. Tão logo, sejam recolhidos os exemplares das três obras, em sua totalidade, serão lacrados, até que seja esclarecido este impasse. Convidou, na respota da notificação, as procuradoras e advogadas de Caroline para participar deste procedimento, inclusive, no ato em que serão lacradas as caixas, com os livros.

c) O departamento editorial já determinou a realização de apuração de quantos exemplares existem em estoque e consignados.

Assim, fica evidente que, a Madras Editora vem cumprir sua responsabilidade empresarial e social, afim de apurar. Desde já, requer que não seja mais veiculados o nome desta empresa e de seu diretor, nos assuntos referentes a estes casos, pois estam sub judice.

DOUGLAS GARCIA NETO
DIRETOR JURÍDICO
MADRAS EDITORA LTDA

2 comentários:

  1. Carlos Alberto Bárbaro16.12.09

    Se um diretor jurídico da Madras escreve desse jeito e apresenta uma noção tão infantil do que seja responsabilidade editorial, então não é preciso dizer mais nada.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo15.8.10

    Hahaha!
    Realmente, não é preciso dizer mais nada.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.