7 de dez de 2009

cedic

o centro difusor de cultura (cedic) é uma editora de minas gerais, com uma linha variada que abrange livros e dvds pedagógicos, bíblicos, artísticos e outros. no segmento de literatura, a editora mantém uma coleção chamada "projeto ler literatura universal".
acho essas coisas sempre maravilhosas, pois a grande literatura é de uma riqueza inesgotável e o brasil ainda tem carências neandertalianas no acesso a essas grandes obras. assim, uma editora que anuncia tal projeto e avisa que "A coleção contém 40 obras-primas dos melhores escritores do mundo. O leitor terá a oportunidade de conhecer grandes nomes da literatura e suas obras imortalizadas" desperta esperanças na gente.
bom, não que eu seja muito conhecedora das coisas, mas a relação das 40 obras-primas da cedic me espantou bastante. são elas:

Odisséia - Homero
A Megera Domada & As Alegres Comadres de Windsor - William Shakespeare
Dom Quixote - Miguel de Cervantes
Hamlet - William Shakespeare
Macbeth - William Shakeaspeare
Moby Dick - Herman Melville
O Fantasma da Ópera - Geston [sic] Leroux
O Rei Lear - William Shakespeare
Otelo - William Shakespeare
Romeu e Julieta - William Shakespeare
Sonho de Uma Noite de Verão - William Shakespeare
Drácula - Bram Stoker
Dos Delitos e das Penas - César Beccaria
Ilíada - Homero
O Príncipe - Maquiavel
A Dama das Camélias - Alexandre Dumas Filho
O Banquete - Platão
Édipo Rei - Sófocles
A Divina Comédia - Inferno - Dante Alighieri
A Divina Comédia - Purgatório - Dante Alighieri
A Divina Comédia - Paraíso - Dante Alighieri
Mensagem - Fernando Pessoa
Contos e Histórias - Allan Poe
Os Trabalhadores do Mar - Victor Hugo
O Fantasma de Canterville - Oscar Wilde
De Calígula a Domiciano - Suetônio
De Julio Cesar a Tibério - Suetônio
Fábulas - La Fontaine
História Secreta - Procópio
A Tempestade - William Shakespeare
Contos - Guy de Maupassant
Teodora - Henry de Kock
A Comédia dos Erros - William Shakespeare
20.000 Léguas Submarinas - Julio Verne
Uma Aventura de Natal - Charles Dickens
Eneida - Virgílio
Cleópatra - Henry de Kock
As Minas do Rei Salomão - H. Rider Haggard
A Revolução dos Bichos - George Orwell
O Atentado contra Napoleão - Paulo Matos Peixoto



em 40 títulos, 10 shakespeares?

o banquete de platão agora virou literatura? o príncipe de maquiavel também? dos delitos e das penas de beccaria idem? as vidas de suetônio idem? procópio idem?

gaston leroux, um dos melhores escritores do mundo? as minas do rei salomão como uma das grandes obras-primas universais? a revolução dos bichos também?

henry de kock? e com duas obras? e a cerejinha do bolo, paulo matos peixoto?

e certamente há quem tenha comprado e continue a comprar na boa fé a tal coleção com seus quarenta volumes, achando que está se instruindo na alta literatura mundial ao ler bram stoker e gaston leroux... e paulo matos peixoto, se mal pergunte: quem é este "grande nome da literatura" que figura entre os 27 "melhores escritores do mundo" selecionados pela cedic, autor da "obra imortalizada" o atentado contra napoleão?

perplexíssima com a desfaçatez e atônita com a quantidade de "mais dos mesmos" que perambulam incessantemente pelas rideels, martins clarets e novas culturais da vida - odisseia, moby dick, drácula, os benditos dez shakespeares, os platões, beccarias, maquiavéis e suetônios repetindo-se à exaustão, venho a descobrir que a divina comédia, repicada em três voluminhos, é uma inacreditável cópia - mais uma vez! - da tradução de hernâni donato. anônima, sem qualquer crédito, como se dante tivesse gestado e parido sua magnum opus diretamente vasada na última flor do lácio. ademais a edição fere os preceitos mais básicos da lei do livro, sem ficha catalográfica, sem nenhuma indicação de coisa alguma, nem sequer do local, da editora, da data, nada, nada. só é possível saber que é uma edição da cedic porque consta na contracapa.

continuo achando que devia existir uma ANVISA do livro. afinal o intelecto não pode ficar sujeito a tanta contrafação e a tanta ishperteza - o alimento do espírito, por ainda melhor razão, deveria receber cuidados muito maiores.

imagens: cedic

5 comentários:

  1. Denise,
    será que dá para reclamar no Procon?

    ResponderExcluir
  2. Anônimo7.12.09

    1) O plágio e o desreito à lei são graves.
    2) A antologia não ser das mais bem selecionadas ,na sua opinião (e na minha), não é um problema. Essas são as obras-primas universais na opinião da editora. Ninguém poderia fazer uma lista inconteste de títulos.
    Não acho que leitores precisem ser tratados com toda essa condescendência. Que leiam e avaliem por si mesmos. Até porque contestar o cânon é mais do que desejável.

    ResponderExcluir
  3. Anvisa, aqui, é só pra coxinha de galinha estragada e "cocrete". São os únicos valores que nos afetam, já que não saímos da taba.

    Também acho que deveria haver uma agência similar para livros. Afinal, a produção literária tem subsídios, e deve ser cobrada, sim.

    ResponderExcluir
  4. Olá, trabalhamos em uma biblioteca e adqurimos a coleção Projeto Ler Literatura universal, Não temos muito conhecimento sobre as literaturas originais de cada obra, mas com o pouco que temos não é dificil identificar que são plágios e como você mesmo relatou nada consta de lugar onde foi publicado, data, edição, classificação da literatura. Ficamos perplexas com tanto descaso com as pessoas que querem buscar o conhecimento dos grandes escritores.

    Deveria ter uma constituição onde defende-se os direitos dos consumidores e leitores.

    Deixamos aqui nossa indginação.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo3.8.10

    No dia que tradução ruim for tratada como defeito de fabricação e o editor tiver de nos dar um exemplar novo para substituir o defeituoso (ou seja,na prática produzir uma nova ediçã corrigida, fazer o recall, etc), tradutores e revisores serão muito bem pagos e respeitados.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.