24 de set de 2009

imortais e obras-primas


parei um pouco de postar sobre as coleções de clássicos da literatura da editora nova cultural - não porque suas fraudes desapareceram, e sim porque dei por encerrada a pesquisa de seus títulos. conferi todos os títulos, e os casos de plágio comprovado foram apresentados um a um aqui no nãogosto. outras notícias referentes a essas fraudes na nova cultural foram igualmente divulgadas: ações judiciais de editoras lesadas, acordos extrajudiciais com tradutores lesados, matérias na imprensa, errata pública, republicação da obra legítima lesada etc. a quem interessar, o material está no arquivo classificado em nova cultural.

por outro lado, graças ao alerta de um leitor, percebi que ficou um ponto meio confuso que quero esclarecer melhor: a nova cultural tem duas coleções literárias com problemas de contrafação - a saber, "imortais da literatura universal" e "obras-primas".

a coleção "imortais da literatura universal" é composta por 20 volumes, e foi publicada em 1995 e 1996 pela nova cultural/ círculo do livro. a coleção "obras-primas" é composta por 50 volumes, e foi publicada em 2002 e 2003 pela nova cultural/ suzano. ambas as coleções eram de alta tiragem, alguns títulos com várias reedições.

segue abaixo a relação das obras integrantes de cada coleção. quando a tradução é legítima, consta apenas o nome do tradutor sem destaque. quando a tradução é espúria, constam o nome do pretenso tradutor em destaque vermelho e o nome do tradutor legítimo em destaque verde. para ver o respectivo cotejo publicado aqui no blog, basta clicar na listinha dos cotejos disponíveis.


IMORTAIS DA LITERATURA UNIVERSAL
1. dostoievski, irmãos karamázovi - enrico corvisieri (natália nunes, adapt. para o português do brasil por oscar mendes)
2. emily brontë, o morro dos ventos uivantes - rachel de queiroz
3. balzac, a mulher de 30 anos - enrico corvisieri (josé maria machado)
4. tolstói, ana karênina - mirtes ugeda (joão gaspar simões)
5. choderlos de laclos, relações perigosas - sérgio milliet
6. tchecov, as três irmãs - maria jacintha
7. machado de assis, brás cubas/ dom casmurro
8. stendhal, o vermelho e o negro - maria cristina f. da silva (luiz costa lima)
9. hemingway, o sol também se levanta - berenice xavier
10. émile zola, germinal - eduardo nunes fonseca (j. martins)
11. scott fitzgerald, suave é a noite - enrico corvisieri (lygia junqueira)
12. charles dickens, conto de duas cidades - sandra luzia couto
13. sartre, a idade da razão - sérgio milliet
14. d. h. lawrence, mulheres apaixonadas - cabral do nascimento
15. alexandre dumas, os três mosqueteiros - mirtes ugeda (octavio mendes cajado)
16. oscar wilde, o retrato de dorian gray - maria cristina f. da silva (oscar mendes)
17. boccaccio, decamerão - torrieri guimarães (esta é uma fraude, mas não pela nova cultural, e sim pelo próprio torrieri, hemus, 1970, que garfou a tradução de raul de polillo)
18. eça de queiroz, o primo basílio
19. jonathan swift, viagens de gulliver - therezinha monteiro deutsch
20. daniel defoe, moll flanders - antônio alves cury

OBRAS-PRIMAS
1. Miguel de Cervantes, Dom Quixote - Viscondes de Castilho e Azevedo
2. Victor Hugo, Os trabalhadores do mar - Machado de Assis
3. Dante Alighieri, A divina comédia - Fábio M. Alberti (Hernâni Donato)*
4. Dostoievski, Crime e castigo - não consta tradutor (Natália Nunes)
5. Edmond Rostand, Cyrano de Bergerac - Fábio M. Alberti (Carlos Porto Carreiro)
6. Stendhal, O vermelho e o negro - Maria Cristina F. da Silva (Luiz Costa Lima)*
7. Flaubert, Madame Bovary - Enrico Corvisieri (Araújo Nabuco)
8. Jane Austen, Razão e sensibilidade - Therezinha Deutsch
9. Leon Tolstoi, Ana Karênina - Mirtes Ugeda Coscodai (João Gaspar Simões)
10. Homero, Odisséia - Antônio Pinto de Carvalho
11. Tommaso di Lampedusa, O leopardo - Leonardo Codignoto (Rui Cabeçadas)
12. Charles Dickens, Um conto de duas cidades - Sandra Luzia Couto
13. Bram Stoker, Drácula - Vera M. Renoldi
14. Euclides da Cunha, Os sertões
15. Franz Kafka, A metamorfose - Calvin Carruthers (não dou um figo seco por essa edição, mas não localizei a fonte)
16. Mark Twain, As aventuras de Tom Sawyer - Luísa Derouet
17. Choderlos de Laclos, Relações perigosas - Sérgio Milliet
18. Sinclair Lewis, Babbitt - Leonel Vallandro
19. Camões, Os lusíadas
20. Goethe, Fausto e Werther - Alberto Maximiliano (Silvio Meira e Galeão Coutinho, respectivamente)
21. Voltaire, Contos - Roberto Domenico Proença (Mário Quintana)
22. Tchecov, As três irmãs - Maria Jacintha
23. Herman Melville, Moby Dick - Péricles Eugênio da Silva Ramos
24. Emily Brontë, O morro dos ventos uivantes - Silvana Laplace (Oscar Mendes)
25. Machado de Assis, Memorial de Aires e Esaú e Jacó
26. Daniel Defoe, Moll Flanders - Antônio Alves Cury
27. Eça de Queiroz, A cidade e as serras
28. Gogol, Almas mortas - Tatiana Belinky
29. Boccaccio, Decamerão - Torrieri Guimarães (esta é uma fraude, mas não pela Nova Cultural, e sim pelo próprio Torrieri, Hemus, 1970, que garfou a tradução de Raul de Polillo)
30. Pirandello, O falecido Mattia Pascal e Seis personagens à procura de autor - Fernando Corrêa Fonseca (Mário da Silva e Brutus Pedreira respectivamente)
31. Louisa May Alcott, Mulherzinhas - Vera Maria Marques Martins**
32. Virgílio, Eneida - Tassilo Orpheu Spalding
33. Alexandre Dumas Filho, A dama das camélias - Therezinha Deutsch
34. Henry Fielding, Tom Jones - Jorge Pádua Conceição (Octavio Mendes Cajado)
35. Émile Zola, Naná - Roberto Valeriano (Eugênio Vieira)
36. Shakespeare, Tragédias - Beatriz Viéga-Farias
37. Oscar Wilde, O retrato de Dorian Gray - Enrico Corvisieri (Oscar Mendes)
38. Honoré de Balzac, A mulher de trinta anos - Gisele Donat Soares (José Maria Machado)
39. Edgar Allan Poe, Histórias extraordinárias - Brenno Silveira e outros
40. Jules Verne, A volta ao mundo em oitenta dias - Therezinha Monteiro Deutsch
41. Jonathan Swift,
As viagens de Gulliver - Therezinha Deutsch
42. Alexandre Dumas, Os três mosqueteiros - Mirtes Ugeda Coscodai (Octavio Mendes Cajado)
43. Ibsen, A casa de bonecas - Cecil Thiré
44. Joseph Conrad, Lord Jim - Carmen Lia Lomonaco (Mário Quintana)
45. Henry James, Lady Barberina e A outra volta do parafuso - Leônidas Gontijo e Brenno Silveira respectivamente
46. Raul Pompéia, O ateneu
47. Guy de Maupassant, Uma vida - Roberto Domenico Proença (Ascendino Leite)
48. Scott Fitzgerald, Suave é a noite - Enrico Corvisieri (Lígia Junqueira)
49. D. H. Lawrence, Mulheres apaixonadas - Cabral do Nascimento
50. Walter Scott, Ivanhoé - Roberto Nunes Whitaker (Brenno Silveira)

* nos casos da divina comédia e de o vermelho e o negro, os tradutores lesados foram ressarcidos, mas não houve nenhum recall ou substituição dos exemplares espúrios adquiridos pelos leitores e instituições públicas e privadas. em todo caso, a nova cultural retirou de catálogo os 20 títulos das "Obras-Primas" com plágio comprovado.

** atualização em 19/09/2015: constatei que páginas e mais páginas desta tradução de mulherzinhas  em nome de vera maria marques martins não passam de mera cópia da tradução de marcos bagno (melhoramentos, 1998). vide aqui.

imagem: rjartworks

8 comentários:

  1. Olá, eu adorei seu blog, e como disse em um comentário anterior que deixei em seu blog é um excelente trabalho o que você faz, pois traduzir dá um trabalho imenso e após gotas e gotas de suor vir outro e ganhar os louros nas nossas costas é desumano!
    Tomei a liberdade de linkar seu blog em minha lista de blogs!

    ResponderExcluir
  2. prezada two ways: agradeço a gentileza! coloquei dois caminhos na lista dos meus links.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo25.9.09

    Ola Denise, venho acompanhando as postagens do seu blog, quero ressaltar a importancia do trabalho que está desenvolvendo. Uma delas é a imortais e obras primas. Bom, acho que uma postagem intitulada Imortais do Plagio, com uma seleção dos plagios mais "importantes", seria interessante. Desculpe a ousadia, mas é que gostaria de saber quais os plagios mais descarados.

    Parabéns pelo trabalho mais uma vez.

    Carlos Inácio

    ResponderExcluir
  4. Anônimo14.3.10

    Oi Denise, pelo que eu entendi a tradução de "A Metamorfose" da ed. Nova Cultural por Calvin Carruthers é espúria, como postado num artigo seu de 02/11/2009, é isso mesmo? Porque se for, falta atualizar isso na lista com os tradutores fakes e originais com negrito verde e vermelho!

    ResponderExcluir
  5. prezado anônimo: fico encantada que alguém consiga trafegar pela floresta que é este blog!
    na verdade, eu disse: "aviso que não fui atrás dessa tradução, não sei se é plágio ou deixa de ser, mas o uso do nome de fantasia por si só já dá um certo pano para a manga" - referindo-me ao trocadilho barato com o nome de calvin carruthers.
    embora eu não ponha minha mão no fogo quanto à legitimidade da tradução em si, não disponho de elementos para afirmar que é espúria. e como usar pseudônimo é algo plenamente legítimo, posso apenas achá-lo infame, nada mais ;-)
    obg!

    ResponderExcluir
  6. Então não vale a pena ler estes livros?

    ResponderExcluir
  7. bom, você que sabe, jeferson. além do crime de ficar roubando obras dos outros, os textos foram adulterados na tentativa de disfarçar o roubo. então fica meio difícil confiar, penso eu.

    ResponderExcluir
  8. Antônio Agostinho8.12.16

    Certa vez tive receio de adquirir esta edição de "As três irmãs" (Tchecov) com essa tradução de Maria Jacintha. O preço no Sebo estava bastante convidativo, mas quando o assunto é obras russas, fico apreensivo quanto a tradutores cujo trabalho desconheço.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.