9 de set de 2009

caro leitor

gosto muitíssimo do senhor supracitado e supramostrado.

então, retomando essa história da germinal, que pareceu não se abalar com as denúncias de suas fraudes, vi lá em seu site que o escravo constava em seu catálogo.

por acaso tenho o livro em casa na tradução de cabral do nascimento, pela editorial minerva. em vista dos precedentes germinísticos, não tive dúvida: encomendei o escravo da germinal, no que se diz ser tradução, mais uma vez, de juliana borges.

bom, se toda pesquisa fosse fácil assim, eu perderia bem menos horas do meu tempo.

dona germinal, se não for lhe pedir demais, faça uma gentileza: retire isso de seu catálogo, proceda a uma retificação pública com o nome do verdadeiro tradutor, corrija o que está em seu estoque e ofereça reposição para os leitores ludibriados.

caro leitor, não financie a fraude, recuse o roubo intelectual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.