16 de mar de 2009

zumbi trapalhares I

na semana passada, escrevi para o ministério público pedindo se eles teriam alguma maneira de dar um jeito lá na fbn. pois é a fbn (fundação biblioteca nacional), do minc, que abriga a agência brasileira de isbn.

eu morro de vergonha de ver aquelas fichas de isbn na fbn com pietro nassetti tradutor de machado de assis, josé de alencar, eça de queiroz etc.

por mais que o minc, a fbn e a agência do isbn digam que não é problema deles e que não têm nada a ver com isso, eu acho que um pouco de discernimento não faz mal a ninguém, e na verdade também acho que eles têm algo a ver com isso, sim senhor. pois a agência não é obrigada a aceitar qualquer sandice que lhe passa pela frente. ela podia muito bem ter dito "não, não vou cadastrar essa coisa", e devolver a solicitação. mas aceitou, cadastrou, atribuiu número de isbn, deu chancela oficial, então claro que a responsabilidade é dela.

até imagino por esse mundão afora as agências de cada país ou da UE aceitando, cadastrando, atribuindo isbns e mantendo fichas com dados assim:

victor hugo, les misérables, traduit par pierre ulalah, ed. martinet clareté, ou
miguel de cervantes, don quijote, traducción de juan pepe, ed. martí clarés, ou
walt whitman, leaves of grass, translated by jackass, ed. marty clary

vou ficar aqui torcendo para que o ministério público consiga enfiar um mínimo de bom senso na cabeça daquele pessoal.

imagem: zombiemonalisa, www.boingboing.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.