4 de fev de 2009

essa eu não entendi 2

aliás, essas memórias de sherlock holmes da claret, garfando a tradução de joaquim machado e atribuindo-a a um "john green", têm o isbn 85-7232-510-7.

só que na agência do isbn esse número corresponde a:

ISBN: 85-7232-510-7
TÍTULO: A DIVINA COMEDIA
AUTOR: ALIGHIERI, DANTE
TRADUTOR: MARINS, ALEX

imagem: emoticon, yike

4 comentários:

  1. Jordan Bruno4.2.09

    esse ISBN é realmente obrigatório? porque pra mim não passa de uma mera formalidade......já viu a tradução de Assim falou Zaratustra (Claret)? Alex Marins tá lá.......até imagino de quem realmente seja essa tradução....

    ResponderExcluir
  2. sim, jordan, é obrigatório desde 2003, pela lei do livro, lei federal n° 10.753 de 2003:
    "Art. 6º Na editoração do livro, é obrigatória a adoção do Número Internacional Padronizado, bem como a ficha de catalogação para publicação".

    o isbn nasceu nos anos 70 mais por uma questão das livrarias e da parte de comercialização. adquiriu uma tal importância para a identificação do livro que se tornou obrigatório, como um rg ou um cpf de gente. ou passaporte, pois o número é internacional.

    sem isbn ou com isbn falso, a editora escapa ao sistema oficial de identificação, mas consegue colocar as obras nas livrarias, porque elas não vão checar se a identidade é falsa. como o isbn funciona por código de barras, e se a fórmula algorítmica para a geração do dígito verificador está correta, o livro passa batido, como se fosse ok.

    ResponderExcluir
  3. oops, desculpe. pois é, o tal zaratustra - tb já ouvi falar quem seria o verdadeiro tradutor ;-)

    ResponderExcluir
  4. Cara Denise, muito bacana a idéia do blog! Já conhecia a Denise-tradutora e agora achei a Denise-blogueira, que está afiadíssima! Um abraço

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.