2 de nov de 2008

não gosto de expurgo 2

lamentável a implosão de um blog que, até algum tempo atrás, era tido como uma referência séria e respeitável entre tradutores, escritores, jornalistas, editores, leitores e amantes de livros.

quando solicitei a restauração de posts meus que haviam sido adulterados no blog assinado-tradutores, recebi da parte de um de seus colaboradores atuais, adail sobral, desde ofensas pessoais a declarações, estas sim sérias e preocupantes: "Pode ter havido algum problema, coisa comum na Web, não é mesmo?", "não há lei que diga que um blog, informal como é, tem de manter postagens de quem quer que seja", "E prove o tal expurgo!". como o silêncio do administrador do blog fabio m. said parece seguir no sentido da concordância com tais posições, naturalmente fica muito abalada a credibilidade do referido blog, que vem sendo tratado como terra de ninguém, um faroeste internáutico.

é estarrecedor. agradeço as várias manifestações de solidariedade que tenho recebido.
embora, pessoalmente, eu tenha ficado perplexa e até magoadíssima com o episódio, o problema é outro. a meu ver, a questão de fundo, absolutamente crucial, merecedora de uma reflexão cuidadosa, é:

qual o papel da autoria num blog coletivo? qual a responsabilidade com a verdade numa mídia tratada como se estivesse acima de normas e direitos? qual a credibilidade de uma esfera de comunicação sem defesa contra arbitrariedades?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.