14 de nov de 2008

feliz ano?!

impressionante a desfaçatez de algumas editoras e a desmemória ou indiferentismo de alguns veículos de comunicação.

assino o boletim eletrônico da publishnews, e ontem me deparei com a seguinte notícia:

"Publishnews - 13/11/2008 - por Redação
Feliz Ano!
As editoras Geração Editorial e Leitura estão fechando o ano de 2008 com ótimas notícias. Além do seu faturamento ter mais do que triplicado, a contratação de mais um editor – Marcos Torrigo, ex-Madras e ex-Ediouro – também é motivo de comemoração para as empresas. Outro selo do grupo, o Jardim dos Livros, ainda fecha este ano celebrando o resultado obtido com a edição de A arte da guerra, de Sun Tzu. O clássico chinês chegou ao primeiro lugar em todas as listas de mais vendidos. "

ora, em julho de 2008 (quer dizer, nada tão antediluviano assim), a revista piauí tinha publicado um longo artigo do saudoso jornalista e chefe de checagem adam sun mencionando justamente essa edição da jardim dos livros: "o pega-pega da arte da guerra".

com sua impagável verve, adam sun alertava:
"Os excessos da DPL podem parecer café pequeno ante a proeza da editora Jardim dos Livros, cuja Arte da Guerra: Os Treze Capítulos Originais, lançada em tradução e adaptação de Nikko Bushidô, é um embuste desde o frontispício até o último capítulo. O livro, de 2006, traz na capa três afirmações bombásticas: 'Tradução do chinês', 'Campeão de vendas', 'Edição completa'. Eis uma mentira: 'Tradução do chinês'. A versão Jardim dos Livros é tradução do chinês feita através da língua de Camões mesmo.
Nikko Bushidô promoveu um mega-arrastão nas versões brasileiras de Sunzi Bingfa. Simplesmente surrupiou a produção intelectual de José Sanz (Record, 1983), Mirian Paglia Costa e Caio Fernando Abreu (Cultura, 1994), Sueli Barros Cassal (L&PM, 2000) e Ana Aguiar Cotrim (Martins Fontes, 2002). Não contente, Bushidô arrebanhou também o prodigioso editor Martin Claret e seu prestativo colaborador Pietro Nassetti, tradutor de grandes habilidades, como se verá adiante. E mais: reproduziu até o erro de atribuir a Sunzi uma frase de Santo Agostinho - 'O objetivo das guerras é a paz' -, numa demonstração prática da técnica Lavoisier de tradução."


o arsenal do guerreiro nikko bushido

naquela ocasião, publiquei quatro ou cinco posts no agora inconsultável assinado:tradutores, detalhando alguns meandros da jardim dos livros (antiga sapienza) e outros temas correlatos.

já é um absurdo inaceitável o que fez a jardim dos livros: plágio, prática lesiva ao consumidor, concorrência desleal, falsidade ideológica etc.

agora, que a publishnews venha comemorar o sucesso da jardim dos livros obtido com malfeitorias?! um feliz ano?! para quem?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.