30 de set de 2008

ana karênina



(esta descoberta se deveu à colaboração de josé oscar de almeida marques e saulo von randow jr.)

Tolstói, Ana Karênina, trad. João Gaspar Simões. Abril Cultural, 1982

TERCEIRA PARTE
Capítulo V (Volume I), p. 238
Depois do almoço coube a Liêvin ceifar entre um velho trocista, que o convidou a alinhar com ele, e um mujique novo, que se casara no outono e era a primeira vez que ceifava naquele ano.O velho, que se mantinha muito direito, ia adiante, dando grandes passadas rítmicas, com as suas pernas ligeiramente tortas. Graças a um movimento vigoroso e compassado, que não lhe custava mais que balançar os braços em marcha, como se brincasse, amontoava medas altas e uniformes. Dir-se-ia que não era ele, mas apenas a gadanha afiada que cortava a erva suculenta.


Tolstói, Ana Karênina, trad. atrib. a Mirtes Ugeda. Nova Cultural, 2003
TERCEIRA PARTE
Capítulo V, p. 210
Depois do almoço coube a Liêvin ceifar entre um velho zombador, que o convidou a alinhar com ele, e um mujique novo, que se casara no outono e era a primeira vez que ceifava naquele ano.O velho, que se mantinha muito direito, ia adiante, dando grandes passadas rítmicas, com as suas pernas ligeiramente tortas. Graças a um movimento vigoroso e compassado, que não lhe custava mais que balançar os braços em marcha, como se brincasse, amontoava medas altas e uniformes. Dir-se-ia que não era ele, mas apenas a gadanha afiada que cortava a erva suculenta.

atualização em 16/2/12 - obs.: estes são apenas alguns exemplos a título ilustrativo, extraídos de um extenso cotejo feito entre as traduções, com outras traduções e com o original. veja aqui.

imagem: exlibrisalterum.blogspot.com

3 comentários:

  1. Anônimo14.4.12

    Olá. Parabéns pelo blog! Excelente trabalho!
    Não querendo abusar da boa vontade da autora do blog e me distanciando um pouco do assunto sobre plágios, mas não sobre o de tradução, peço uma informação:
    A Morte de Ivan Ilitch traduzido por Vera Karam é tradução direta?
    Sobre Gogol: Almas Mortas da abril (1972) por Tatiana Belinky é edição integral?

    Perdão por importunar e desde já obrigado.

    ResponderExcluir
  2. olá, prezado anônimo: a tradução de vera karam suponho que seja a partir do inglês (ela era professora de inglês; não me consta que conhecesse russo). quanto a almas mortas por t. belinky, suponho que seja edição integral, sim.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Denise! Acompanho seu blog faz um tempo e ele é muito útil quando pesquiso sobre as melhores traduções. Parabéns por transmitir o que sabe a nós!
    Mas uma dúvida: infelizmente adquiri sem querer a edição de Ana Karenina da Nova Cultural de 2003 pensando que levava a da Abril Cultural de 1971 (ambas são "volume único"), mas a diferença de páginas entre elas é muito grande: a da Nova Cultural tem quase cem páginas a menos. Sabe se, além da tradução ser um plágio, ela também é incompleta? Porque espero um dia comprar a edição da Abril, mas queria ler Ana Karenina esse mês e só a da Nova Cultural está disponível para mim no momento. Se for incompleta, vou adiar a leitura até adquirir a da Abril.

    Obrigada desde já.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.