30 de set de 2008

ivanhoé


e este - ivanhoé - foi o estopim desse deslindar da tremenda meada de fraudes da nova cultural - que descobrimos vir desde 1995.

foi saulo von randow jr. que localizou essa apropriação da obra de brenno silveira, em agosto de 2007. já havia as denúncias de ivo barroso desde 2002 e 2003 e os alertas do jornal opção, com euler de frança belém alertando o povo dos crimes da nova cultural e da martin claret.

mas, de alguma forma, quando saulo von randow jr. alertou sobre o ivanhoé, juntaram-se diversos fatores, e começou a investigação sistemática dessa indústria do plágio, que resultou na descoberta do mais sistemático e avassalador esquema de fraudes editoriais de que se tem notícia, com vários milhões de exemplares criminosos com o saque ao bolso e à boa-fé do consumidor.
Ivanhoé (Walter Scott), Círculo do Livro, trad. Brenno Silveira (licença de Martins Ed.)
Capítulo XVII - pp. 179-80

A VOLTA DO CRUZADO
I
Depois de grandes feitos, coberto de glória,
Da Palestina chega o cavaleiro;
Traz a cruz sobre os ombros
E no corpo o vestígio das batalhas e do sol inclemente.
Cada Marca em seu escudo amolgado
Fala de uma praça de guerra conquistada.
E assim, sob o balcão da sua amada,
Cantou ele ao crepúsculo :

II
Honra à beleza ! Contempla o teu cavaleiro,
Que voltou da longínqua terra dourada;
Riquezas não traz, nem delas necessita,
Salvo seus braços fortes e o seu corcel de guerra;
As rijas esporas, e, para investir contra o inimigo,
A lança e o gládio que o jogam por terra !
Eis da sua luta todos os troféus !
Ei-los ! E mais a esperança de um sorriso de Tekla !
(...)

Ivanhoé (Walter Scott), Nova Cultural, trad. atrib. Roberto Nunes Whitaker
Capítulo XVII - pp. 168-69

A VOLTA DO CRUZADO
I
Depois de grandes feitos, coberto de glória,
Da Palestina chega o cavaleiro;
Traz a cruz sobre os ombros
E no corpo o vestígio das batalhas e do sol inclemente.
Cada Marca em seu escudo amolgado
Fala de uma praça de guerra conquistada.
E assim, sob o balcão da sua amada,
Cantou ele ao crepúsculo :

II
Honra à beleza ! Contempla o teu cavaleiro,
Que voltou da longínqua terra dourada;
Riquezas não traz, nem delas necessita,
Salvo seus braços fortes e o seu corcel de guerra;
As rijas esporas, e, para investir contra o inimigo,
A lança e o gládio que o jogam por terra !
Eis da sua luta todos os troféus !
Ei-los ! E mais a esperança de um sorriso de Tekla !

atualização em 16/2/12 - obs.: estes são apenas alguns exemplos a título ilustrativo, extraídos de um extenso cotejo feito entre as traduções, com outras traduções e com o original. veja aqui.
(...)
imagem: são jorge

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.