30 de set de 2008

o falecido mattia pascal


1. primeiro, uma amostra dos retoques aplicados apenas em começo de parágrafo:

Luigi Pirandello, O falecido Mattia Pascal (trad. Mário da Silva, publicada sob licença da Ed. Civilização Brasileira, Abril Cultural, 1981) (cap. 3, p. 21):

Uma santa mulher, minha mãe! De índole retraída e muito pacata, tinha pouquíssima experiência da vida e dos homens. Ouvindo-a falar, parecia uma criança. Falava em tom fanhoso e ria, também, com o nariz, visto que, todas as vezes, como se tivesse vergonha de rir, apertava os lábios. De compleição muito delicada, andou sempre meio combalida, após a morte de meu pai; mas nunca se queixou de seus males e não creio que se apoquentasse muito por eles, aceitando-os, resignada, como uma conseqüência natural de sua desventura. Talvez contasse que ela também morreria, de dor; devia, portanto, agradecer a Deus, que a mantinha em vida, ainda que infeliz e atribulada, para o bem dos filhos.

Luigi Pirandello, O falecido Mattia Pascal (atrib. Fernando Correa Fonseca, Nova Cultural, 2003) (cap. 3, pp. 18-19):

Uma santa mulher, minha mãe! De temperamento retraído e muito pacata, possuía muito pouca experiência da vida e dos homens. Ouvindo-a falar, parecia uma criança. Falava em tom fanhoso e ria, também, com o nariz, visto que, todas as vezes, como se tivesse vergonha de rir, apertava os lábios. De compleição muito delicada, andou sempre meio combalida, após a morte de meu pai; mas nunca se queixou de seus males e não creio que se apoquentasse muito por eles, aceitando-os, resignada, como uma conseqüência natural de sua desventura. Talvez contasse que ela também morreria, de dor; devia, portanto, agradecer a Deus, que a mantinha em vida, ainda que infeliz e atribulada, para o bem dos filhos.

2. agora parágrafo sem qualquer retoque:

Luigi Pirandello, O falecido Mattia Pascal (trad. Mário da Silva, publicada sob licença da Ed. Civilização Brasileira, Abril Cultural, 1981) (cap. 7, p. 98):

Reli, com expressão feroz e o coração em tumulto, não sei mais quantas vezes, aquelas poucas linhas. No primeiro impulso, todas as minhas energias vitais insurgiram-se violentamente para protestar, como se a notícia, tão irritante em seu impassível laconismo, pudesse ser verdadeira também para mim. Mas, senão para mim, ela era verdadeira para os outros; e a certeza que tinham esses outros, desde a véspera, de minha morte, constituía, contra mim, uma violência intolerável, permanente, esmagadora...

Luigi Pirandello, O falecido Mattia Pascal (atrib. Fernando Correa Fonseca, Nova Cultural, 2003) (cap. 7, p. 88):

Reli, com expressão feroz e o coração em tumulto, não sei mais quantas vezes, aquelas poucas linhas. No primeiro impulso, todas as minhas energias vitais insurgiram-se violentamente para protestar, como se a notícia, tão irritante em seu impassível laconismo, pudesse ser verdadeira também para mim. Mas, senão para mim, ela era verdadeira para os outros; e a certeza que tinham esses outros, desde a véspera, de minha morte, constituía, contra mim, uma violência intolerável, permanente, esmagadora...

interessante notar a reprodução do erro e da curiosa virgulação da tradução original.

interessante também notar que soluções mais marcantes, como "andou sempre meio combalida", "que se apoquentasse muito" etc., que acabam por constituir o sinete da individualidade do tradutor, foram mantidas sem pejo.

atualização em 16/2/12 - obs.: estes são apenas alguns exemplos a título ilustrativo, extraídos de um extenso cotejo feito entre as traduções, com outras traduções e com o original. veja aqui.

imagem: www.liberamenteonline.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.