30 de set de 2008

um enlutado dia do tradutor


em homenagem a tantos tradutores caídos na sanha de editoras inescrupulosas: monteiro lobato, eça de queiroz, godofredo rangel, mario quintana, ligia junqueira, hernâni donato, leonidas hegenberg, leonel vallandro, brenno silveira, araújo nabuco, josé maria machado, galeão coutinho, rodrigo richter, natália nunes, oscar mendes, cunha medeiros, octavio mendes cajado, luiz costa lima, jamil almansur haddad, carlos porto carreiro, rui cabeçadas, joão gaspar simões, silvio meira, mário da silva, brutus pedreira, ascendino leite, eugênio vieira, joão paulo monteiro, paulo m. de oliveira, blásio demétrio, adolfo casais monteiro, boris schnaiderman, floriano de souza fernandes, wilson lousada, casimiro fernandes, octany silveira da mota, lívio xavier, sodré viana, péricles eugênio da silva ramos, maria francisca ferreira de lima, modesto carone, maria helena da rocha pereira, ricardo iglésias, ivan emilianovitch schawirin, odorico mendes, suely bastos, maria beatriz nizza da silva, leônidas gontijo, joaquim machado

"a tradução é uma obra criativa. é um ato desmedido. traduzir é uma exorbitância" - boris schnaiderman
imagem: agencia.ecclesia.pt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.